Vettel se fia no exemplo de Raikkonen para seguir brigando

domingo, 4 de outubro de 2009 12:56 BRT
 

Por Alan Baldwin

SUZUKA, Japão (Reuters) - Sebastian Vettel se fia no exemplo de Kimi Raikkonen para mostrar porque Jenson Button deve se sentir inseguro em relação às suas chances de conquistar o campeonato mundial de Fórmula 1.

Raikkonen, com a Ferrari, venceu o título de 2007 confrontando todas as previsões, já que conseguiu descontar em duas corridas a vantagem de 17 pontos que Lewis Hamilton, da McLaren, tinha sobre ele.

A vitória incontestável de Vettel no Japão neste domingo deixa o piloto da Red Bull 16 pontos atrás do britânico Button, com duas corridas as serem disputadas.

A Brawn de Button arrastou-se pela pista para garantir um oitavo lugar nada convincente, o que fez com que a vantagem que o líder do campeonato tem para seu companheiro de equipe e rival mais próximo, o brasileiro Rubens Barrichello, caísse para 14 pontos.

O paralelo não passou sem ser notado pelo alemão de 22 anos, sentado ao lado de Hamilton na entrevista coletiva concedida após a corrida.

"Como eu já disse muitas vezes, eu lutarei até o fim, até o ultimo instante", declarou ele.

"Nossa tarefa agora é muito difícil, nós temos que nos pressionar o máximo possível e tentar vencer, marcar tantos pontos quando pudermos. Sabemos que isso é o que temos que fazer."

"Você pode perguntar ao cara aqui sentado do meu lado sobre o que aconteceu dois anos atrás. Eu acho que Kimi tinha uma vantagem bem grande (para descontar) em apenas duas corridas", acrescentou ele.

"Todos diziam a Lewis que não haveria problemas, ele estava pilotando um dos carros mais competitivos, só precisava conquistar alguns pontinhos. Mas veja você: às vezes acontecem... coisas que não saem como esperamos. Tudo é possível."

 
<p>O piloto de F1 Sebastian Vettel comemora vit&oacute;ria com seus companheiros de equipe, em Suzuka. Vettel se fia no exemplo de Kimi Raikkonen para mostrar porque Jenson Button deve se sentir inseguro em rela&ccedil;&atilde;o &agrave;s suas chances de conquistar o campeonato mundial de F&oacute;rmula 1.04/10/2009.REUTERS/Issei Kato</p>