4 de Outubro de 2009 / às 18:46 / 8 anos atrás

Apresentação da Rio 2016 foi uma pequena cerimônia de abertura

Por Karolos Grohmann

COPENHAGUE (Reuters) - Esta pode ter sido a menor plateia para a qual Scott Givens teve que se apresentar, mas de longe foi a mais influente.

Quando o Comitê Olímpico Internacional (COI) se reuniu para eleger a candidatura vitoriosa para sediar a Olimpíada de 2016, cada uma das quatro cidades --Chicago, Tóquio, Rio de Janeiro e Madri-- teve 45 minutos para fazer uma apresentação para uma plateia de aproximadamente 100 integrantes.

A apresentação do Rio, que teve discursos, vídeos, mapas digitais e fotografias, foi elogiada por observadores experientes como a melhor das quatro concorrentes e possivelmente a melhor jamais apresentada, representando um papel importante na candidatura vencedora da cidade brasileira.

Givens, que já organizou tanto cerimônias de abertura de Jogos Olímpicos quanto espetáculos da Disney e já trabalhou em oito Olimpíadas, disse que foi como produzir uma cerimônia de abertura, condensada em apenas 45 minutos e com apenas uma fração dos atores necessários.

Ao invés de dezenas de milhares de dançarinos, atletas e figurantes, Givens, diretor da companhia FiveCurrents, teve que orquestrar com cuidado diversos apresentadores, entre eles o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e líderes da candidatura.

“Quando você analisa o assunto, vê que é uma audiência muito pequena, mas muito importante, uma audiência com muito poder de influência. Mas não é muito diferente de uma cerimônia de abertura, por mais que alguns possam pensar assim”, disse Givens, que vem da Califórnia, em uma entrevista à Reuters.

“As pessoas querem viver um certo tipo de experiência, e neste caso foi a mesma coisa. Trata-se de saber contar uma história, seja em grandes cerimônias ou neste tipo de apresentação.”

O resultado mostrou que ele estava certo, e em vez de maravilhar 100 mil pessoas em um estádio e bilhões de espectadores mundo afora, ele impressionou a plateia integrada pelo pequeno grupo de delegados com poder de voto do COI.

“Este foi um estudo sobre a condição dos eleitores quando entraram na sala e como nós queríamos que eles ficassem após a nossa vez”, disse Givens, cuja apresentação incluiu um mapa da cidade alterado digitalmente que mostrava os futuros locais de competição.

INTEGRAÇÃO VISUAL INTELIGENTE

Os locais de competição que ainda seriam construídos foram integrados de maneira inteligente às praias e vizinhanças reais em uma perspectiva de vista aérea, o que tirou a impressão de serem apenas representações virtuais.

Nenhuma das outras apresentações foi capaz de entregar um efeito visual similar.

“Conhecendo bem o movimento Olímpico, nós fomos capazes de agregar elementos que provocassem ressonância entre os membros”, disse Givens. “Havia muitas coisas que gostaríamos que os eleitores percebessem.”

Entre elas, o convencimento de que o Rio tinha chances de sucesso ao apresentar um plano sólido para os Jogos e também a onda de crescimento do país em meio à crise financeira. O discurso de Lula e do presidente do Banco Central do Brasil, Henrique Meirelles, fizeram exatamente isso.

Enquanto o Rio parecia ter uma cota de partida de eleitores simpáticos à cidade, a preocupação ia além da eleição, para mostrar que seria capaz de responder adequadamente ao complexo desafio de organizar o maior evento poliesportivo do mundo.

“Todos sabiam sobre a paixão que o Rio carrega, mas nós tínhamos de fazer os eleitores do COI gostarem de nosso plano para os Jogos e a força da economia.”

O plano da apresentação de Givens, com um roteiro muito bem amarrado com discursos e vídeos, martelava a mensagem emocional que ele considerava essencial para a vitória: o desejo do Rio de sediar as primeiras Olimpíadas realizadas na América do Sul.

O chefe da candidatura, Carlos Arthur Nuzman, encerrou a apresentação pedindo para os eleitores apertarem o botão pelo Rio, fazendo a mímica do gesto com seu dedo.

Foi exatamente o que eles fizeram pouco depois, dando os Jogos de presente ao Rio de Janeiro.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below