7 de Outubro de 2009 / às 23:14 / em 8 anos

Volta de Adriano à Europa não pode ser descartada, diz assessor

<p>Volta do atacante Adriano, atualmente no Flamengo, &agrave; Europa n&atilde;o pode ser descartada, disse seu assessor. REUTERS/Bruno Domingos</p>

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO (Reuters) - O assédio ao atacante Adriano até o fim do ano será inevitável e uma volta ao futebol europeu na janela de transferências internacionais não pode ser descartada, avaliou nesta quarta-feira um assessor do jogador, após informações divulgadas por um jornal italiano sobre o suposto interesse do Milan no brasileiro.

O assessor do atacante frisou, no entanto, que Adriano está focado no Flamengo e na Seleção Brasileira, mas à medida que o jogador recupera a alegria de jogar e o bom futebol, as propostas e sondagens tendem a aumentar.

“A gente sabe que essa procura é inevitável, mas se vai sair eu não sei”, disse à Reuters o assessor do atacante, Flávio Pinto.

Segundo ele, na janela de transferências do meio do ano, o jogador já começou a receber algumas sondagens de clubes do exterior e acrescentou que “há pessoas que podem querer repatriar o jogador na janela do fim do ano”.

O jornal italiano Corriere dello Sport, em sua edição na Internet desta quarta-feira, informou que o Milan estaria tentando a contratação do jogador.

O jornal divulgou que um representante do Milan estaria no Brasil para as primeiras conversas com Adriano, que está servindo a seleção nas últimas rodadas das eliminatórias para a Copa de 2010.

“O Adriano não desconsidera o retorno à Europa, mas a decisão será tomada quando houver uma proposta concreta. Tem que olhar a questão financeira, o time que vai fazer a proposta, a proposta do time e o objetivo do jogador”, declarou Pinto.

O emissário do Milan teria ficado impressionado com a atuação de Adriano na vitória sobre o Fluminense no domingo, pelo Campeonato Brasileiro.

“O Adriano tem um grande nome na Europa, mas não chegou nenhuma proposta concreta do Milan”, declarou Pinto. “Adriano gosta muito da Itália e decidiu sair de lá porque não estava feliz e passava por um momento difícil, mas naturalmente todo grande jogador quer as grandes competições, que estão na Europa. Lá é que estão os grandes clubes e onde financeiramente é melhor”, acrescentou.

O jogador é artilheiro do Campeonato Brasileiro com 15 gols e voltou à seleção no jogo contra a Argentina, em Rosário, após um longo período de recuperação da forma física e psicológica.

Segundo o assessor, a questão financeira não é a prioridade de Adriano, que estaria mais preocupado em disputar a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul.

Pinto acredita que essa será a última chance de Adriano de disputar um mundial. “Ele tem 27 anos e faz 28 em fevereiro. Essa é a última Copa dele. A partir dos 30 anos acho que ele vai começar a amadurecer a ideia de parar. Com 32 anos não dá para ele, que vai dar chance aos mais jovens”, acrescentou.

Os problemas de infraestrutura e atrasos salariais são alguns dos obstáculos para a permanência de grandes estrelas no Brasil.

Adriano chegou a ser emprestado pela Internazionale de Milão ao São Paulo em 2008, mas o jogador logo retornou à equipe milanesa.

No começo do ano, o jogador anunciou que “daria um tempo na carreira” porque estava infeliz na Europa. Meses depois, ele foi anunciado pelo Flamengo, clube que o revelou.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below