October 9, 2009 / 10:33 PM / in 8 years

Dunga forma time de resistentes para vencer altitude boliviana

4 Min, DE LEITURA

<p>A sele&ccedil;&atilde;o brasileira de futebol ter&aacute; um time de resistentes &agrave; altitude de La Paz, no domingo, para o pen&uacute;ltimo jogo do Brasil nas eliminat&oacute;rias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2010, afirmou nesta sexta-feira o t&eacute;cnico Dunga durante entrevista coletiva.Sergio Moraes (BRAZIL SPORT SOCCER)</p>

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO (Reuters) - A seleção brasileira de futebol terá um time de resistentes à altitude de La Paz, no domingo, para o penúltimo jogo do Brasil nas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2010, afirmou nesta sexta-feira o técnico Dunga durante entrevista coletiva.

O treinador ainda não revelou a equipe titular, mas já deu indicações de que irá reservar alguns titulares e priorizar os que se adaptam melhor às condições adversas da Bolívia.

Dunga deve poupar o capitão Gilberto Silva, o meia Kaká e o artilheiro Luís Fabiano contra os bolivianos.

"Aqueles que têm mais resistência vão jogar", disse o treinador ao se referir à altitude de mais de 2 mil metros em La Paz. "Vamos conversar com os jogadores hoje à noite para definir o time... vamos mexer em dois ou três sem mexer nas características do time".

A seleção titular treinou nos últimos dois dias na Granja Comary, em Teresópolis, com Júlio César, Maicon, Luizão, Miranda e André Santos; Josué, Ramirez, Diego Souza e Daniel Alves; Adriano e Nilmar

Com as contusões de Juan, Lúcio e Robinho e a decisão de poupar os três titulares, o Brasil jogará, em teoria, com um time misto contra a Bolívia.

"Nós temos 22 titulares nesse grupo. Não há titulares ou reservas", avaliou Dunga.

A CBF tentou transferir o jogo de La Paz, mas a federação local não cedeu aos apelos brasileiros. O uso de um time misto seria também uma represália à recusa boliviana.

No jogo de ida, no Rio, o Brasil encontrou muitas dificuldades e ficou num empate sem gols com a Bolívia, o que gerou vaias da torcida ao time e críticas a Dunga.

"Ninguém gosta de ser xingado ou chamado de burro, mas agora o jogo é diferente. Eles vão sair mais um pouco", avaliou o técnico. "Temos que aproveitar os espaços e chutar de longa distância".

OBSERVATÓRIO

A utilização de um time misto servirá para Dunga fazer algumas observações, já que o Brasil terá apenas cinco partidas antes de sua estreia na Copa da África do Sul.

"Será importante para alguns jogadores e será uma das poucas chances para se dar aos jogadores que atuam no Brasil", afirmou, ao se referir a jogadores como Adriano e Diego Souza, destaques no Campeonato Brasileiro.

Outra experiência de Dunga será a utilização do ala Daniel Alves no setor de meio de campo. O jogador do Barcelona já atuou na posição em compromissos anteriores e se destacou na vitória sobre o Chile , em Salvador, quando começou como titular.

"Ele já jogou assim e esteve bem. As características dele ajudam atuar na altitude", afirmou Dunga. "Ele e o Maicon já se conhecem bem e fazem uma boa parceria."

O lateral declarou que está à vontade na nova posição.

"Já atuei na altitude, que exige muito do físico. Sei o que fazer para não sofrer", declarou Alves.

Para Maicon, o entrosamento entre os dois pode ser o diferencial no time.

"Meu entrosamento com o Daniel (Alves) sempre foi muito bom e sempre vencemos com bons placares", finalizou Maicon.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below