Líderes de Turquia e Armênia usam futebol para diplomacia

quarta-feira, 14 de outubro de 2009 16:34 BRT
 

Por Alexandra Hudson e Hasmik Mkrtchyan

BURSA, Turquia (Reuters) - Os presidentes da Turquia e da Armênia sentaram lado-a-lado para assistir um jogo das eliminatórias da Copa do Mundo nesta quarta-feira, numa demonstração de unidade destinada a neutralizar a oposição a um acordo para reabrir as fronteiras e restaurar as relações.

Abdullah Gul, da Turquia, e Serzh Sarksyan, da Armênia, apertaram as mãos sob aplausos no estádio fortemente policiado --um cenário impensável há apenas alguns anos após um século de rancor enraizado com a morte de armênios na 1a Guerra Mundial.

Pombas brancas foram lançadas das arquibancadas.

"Não estamos escrevendo história. Estamos fazendo história", disse Gul em conversa entre as duas delegações antes da partida.

Torcedores locais agitaram milhares de bandeiras turcas no estádio, cantando "Turquia, Turquia", enquanto um pequeno grupo de armênios exibia bandeiras do país.

Armênios acusam os turcos de genocídio em 1915. A Turquia reconhece que milhares de armênios foram mortos, mas insiste que muitos turcos otomanos também morreram em combates violentos.

Gul tornou-se o primeiro líder turco a visitar Yerevan no ano passado, na primeira fase do que foi chamado de "diplomacia do futebol" e os dois países assinaram um acordo de paz no sábado.

O acordo, que ainda enfrenta obstáculos, pode ajudar a estabilizar o Sul do Cáucuso e o seu vulnerável corredor energético e amenizar o isolamento geográfico da Armênia.

(Reportagem de Thomas Grove)

 
<p>L&iacute;deres de Turquia e Arm&ecirc;nia usam futebol para diplomacia. REUTERS/Murad Sezer</p>