ENTREVISTA-Lagardere Sports mira aquisições na América Latina

quinta-feira, 15 de outubro de 2009 18:44 BRT
 

Por Dominique Vidalon e Cyril Altmeyer

PARIS (Reuters) - A empresa de administração esportiva Lagardere Sports gostaria de se expandir na América Latina, especialmente no Brasil e no futebol, por meio de aquisições, disse seu executivo-chefe nesta quinta-feira.

Olivier Guiguet disse à Reuters que a companhia, subsidiária do conglomerado de mídia Lagardere, tem como meta atingir a liderança no setor esportivo até 2012, graças a uma estratégia focada na consolidação das posições existentes e na diversificação para novas atividades, como gestão de estádios e consultoria para detentores de direitos esportivos, além da expansão para novas regiões.

"No Brasil, estão construindo 15 estádios para a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos. Também há projetos de estádios na Polônia e nos países do Golfo (Pérsico)," disse ele.

Guiguet garante que não há planos para grandes aquisições neste ano. Mas admite que, se tivesse 500 milhões de euros (746 milhões de dólares) para investimentos, o grupo "iria procurar principalmente uma aquisição na América Latina."

"É crucial alcançar um tamanho crítico numa dada geografia. Temos isso na Ásia, na Europa e na África", disse.

O esporte tem sido resistente à crise global, mas a redução dos gastos publicitários está afetando o valor dos direitos esportivos na Europa Ocidental.

"Pensávamos que o patrocínio fosse sofrer mais (com a crise), e são os direitos de mídia na Europa Ocidental que foram afetados. Quando os canais de TV, cujo modelo de negócios se baseia na publicidade, não vão bem, naturalmente isso cria uma distorção no mercado, e os direitos esportivos não estão numa bolha."

Mas, fora da Europa, os direitos esportivos continuaram crescendo, especialmente na África, no críquete, e no futebol na Ásia.   Continuação...