17 de Outubro de 2009 / às 20:05 / em 8 anos

Barrichello faz a pole para o GP Brasil, Button é 14o

<p>Piloto da Brawn GP Rubens Barrichello comemora pole position para o GP Brasil de F1, em Interlagos REUTERS/Bruno Domingos</p>

Por Camila Moreira

SÃO PAULO (Reuters) - Rubens Barrichello fez sua parte e vai largar na pole position no Grande Prêmio do Brasil, bem à frente do companheiro de Brawn GP e adversário na disputa pelo título da Fórmula 1, Jenson Button, que sairá apenas em 14o.

Num dia em que a confusão e a espera ditaram o tom no treino classificatório deste sábado devido à forte chuva que caiu em Interlagos, Barrichello garantiu a primeira posição no grid da corrida de domingo com o tempo de 1min19s576, colocando 12 carros entre ele e Button.

O brasileiro, que havia feito a pole em 2003 e 2004, desceu do carro comemorando e fazendo sinal de positivo para as câmeras, após ter conseguido avançar para a disputa da pole apenas com o último tempo entre os 10 classificados.

Button lidera o Mundial 14 pontos à frente de Barrichello e com 16 a mais que Sebastian Vettel, da Red Bull. Barrichello precisa vencer a corrida para ter chances de levar a decisão para a última corrida da temporada, em Abu Dhabi, mas tem que torcer para o inglês não terminar em terceiro em Interlagos, o que lhe dará o título independentemente dos resultados de seus adversários.

Único outro concorrente ao título, Vettel viu suas já fracas chances serem bastante prejudicadas ao ser eliminado na primeira parte do treino e vai largar apenas em 16o, o que contradiz aqueles que achavam que o tempo úmido iria favorecer a Red Bull.

Sob chuva intensa, o treino começou no horário, às 14h, mas apenas quatro minutos depois Giancarlo Fisichella, da Ferrari, escorregou no S do Senna e acabou parando atravessado no meio da pista, o que provocou a bandeira vermelha.

Após os carros da organização verificarem as condições da pista, a primeira sessão classificatória foi retomada após 14 minutos, quando a chuva já havia diminuído bastante e não chegava nem perto do temporal que caiu pela manhã.

Mas ela ia e voltava, e ora os tempos melhoravam, ora pioravam, entre uma rodada e outra dos carros, entre uma escapada de traseira e outra.

Justamente quando tentava sua última volta cronometrada para não ser eliminado na primeira parte do treino, Vettel viu a chuva piorar, escorregou de traseira algumas vezes e acabou terminando em 16o lugar no grid, com 1min25s009.

A incógnita continuou em seguida, com mais atrasos para o início da segunda parte da classificação e, mais uma vez, após apenas dois minutos, a bandeira vermelha voltou a suspender o treino depois que Vitantonio Liuzzi, da Force India, bateu no muro, espalhando pedaços do carro pela pista.

A espera então se instalou. Barrichello por um instante parecia estar tirando um cochilo no cockpit, e os chefes de equipe aguardavam nas cabines. Os carros de inspeção saíram três vezes à pista, até que enfim o céu abriu e possibilitou a finalização da sessão, 1 hora e 10 minutos após a última bandeira vermelha.

Restavam apenas 12 minutos e 24 segundos para o final da segunda parte do treino com pista ainda molhada, e Button tentou até o último instante não ser eliminado, mas não conseguiu impor um ritmo forte com os pneus desgastados e não melhorou seu tempo, registrando 1min22s504.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below