Kaká vai mostrar em Madri o que o Milan perdeu

segunda-feira, 19 de outubro de 2009 20:07 BRST
 

MILÃO (Reuters) - O Milan lembrará amargamente sua situação desesperadora quando estiver cara a cara com seu ex-astro Kaká no jogo de quarta-feira pela Liga dos Campeões, no estádio Santiago Bernabéu, em Madri, na Espanha.

O choque entre os maiores campeões do continente no Grupo C é o prato principal da terceira rodada, que também terá o atual campeão, Barcelona, recebendo o Rubin Kazan, da Rússia.

Outro dos duelos de destaque será entre o Liverpool e o Olympique, no estádio Anfield. O time inglês precisa de uma vitória urgente para melhorar sua situação no campeonato.

O Milan --sete vezes campeão da Europa-- sabe o que o Liverpool está vivendo tanto dentro quanto fora dos gramados, porque está passando pelo mesmo desde que vendeu Kaká ao Real Madrid em junho, aborrecendo os fãs.

A derrota no jogo passado de 1 x 0 em casa diante do Zurique foi um dos maus resultados que sofreu a equipe italiana neste campeonato. Apesar da vitória de 2 x 1 ante a Roma no fim de semana, seu técnico, o brasileiro Leonardo, continua sob pressão.

"Depois da venda de Kaká é normal que haja um momento de adaptação, mas não é uma desculpa", disse Leonardo aos jornalistas.

"Seguimos em frente com nossos objetivos. Começamos este ano sabendo que teríamos que nos reorganizar", acrescentou.

Kaká disse que não vai celebrar se marcar um gol contra o seu ex-time, com o qual ganhou a Liga dos Campeões, em 2007, e viveu o que até agora foi sua melhor época como jogador.

Ele estará a partir de agora no centro do palco, já que o português Cristiano Ronaldo continua lesionado e não jogará.

(Reportagem de Mark Meadows)

 
<p>O jogador Kak&aacute; do Real Madrid participa de treino da equipe em Valdebebas. O Milan lembrar&aacute; amargamente sua situa&ccedil;&atilde;o desesperadora quando estiver cara a cara com seu ex-astro Kak&aacute; no jogo de quarta-feira pela Liga dos Campe&otilde;es, no est&aacute;dio Santiago Bernab&eacute;u, em Madri, na Espanha.20/10/2009.REUTERS/Dani Cardona</p>