Berlusconi admite que venderia Milan para pessoa certa

terça-feira, 3 de novembro de 2009 14:34 BRST
 

MILÃO (Reuters) - O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, disse que aceitaria vender o Milan para alguém que fosse melhor para o clube do que ele, mas que ninguém nessas condições apareceu até o momento.

O Milan vendeu o meio-campista brasileiro Kaká para o Real Madrid por 67 milhões de euros (98 milhões de dólares) na última janela de transferências e contratou poucos jogadores numa tentativa de equilibrar suas contas.

Os rumores de uma possível venda do clube começaram a circular desde então, com o milionário albanês Rezart Taci surgindo como um dos interessados. Mas Berlusconi sempre negou que aceitaria vender o clube.

"Eu faria o sacrifício de vender o Milan para alguém que trouxesse mais benefícios ao clube do que eu. Até agora, ninguém que preencha esse papel apareceu", disse Berlusconi em entrevista a um livro que será publicado nesta semana.

O livro, intitulado Donne di Cuori (Rainhas dos Corações), foi escrito pelo jornalista Bruno Vespa.

O Milan, que ganhou a última de suas sete Liga dos Campeões em 2007 e seu último título italiano em 2004, sofreu com um início de temporada ruim, mas uma vitória por 3 x 2 sobre o Real Madrid fora de casa aumentou a confiança da equipe.

Em um trecho do livro enviado por email à Reuters nesta terça-feira, Berlusconi disse acreditar que o dono do Chelsea, Roman Abramovich, não estaria interessado em investir no futebol italiano.

(Por Mark Meadows)

 
<p>O Milan, do brasileiro Ronaldinho Ga&uacute;cho (esquerda), recentemente vendeu o tamb&eacute;m brasileiro Kak&aacute; para o Real Madrid. REUTERS/Alessandro Garofalo</p>