Jogos de Inverno no Canadá vão compensar emissões de carbono

terça-feira, 3 de novembro de 2009 19:59 BRST
 

Por Allan Dowd

VANCOUVER, Canadá (Reuters) - Espectadores, imprensa e patrocinadores com planos de ir no ano que vem aos Jogos Olímpicos de Inverno, em Vancouver, estarão sob pressão para compensar suas emissões de carbono, disseram os organizadores da competição nesta terça-feira.

O comitê organizador prometeu fazer dos Jogos de 2010 um evento neutro em carbono, por isso, apresentou os planos de reduzir as emissões indiretas de 150 mil toneladas de gases do efeito estufa que se prevê serão produzidas no evento.

As emissões indiretas incluem aquelas produzidas pelos vôos de avião que conduzirão milhares de jornalistas e espectadores ao evento, na costa do Pacífico do Canadá, e depois os levarão de volta para casa. Os Jogos de Inverno começam em 12 de fevereiro.

O comitê informou estar-se programando para compensar todas as 118 mil toneladas de emissões diretas relacionadas aos Jogos, tais como as produzidas pelas construções, a passagem da tocha olímpica e viagens de funcionários.

"Se nós não fizéssemos nossa parte, não poderíamos pedir aos outros que fizessem a sua", disse Linda Coady, vice-presidente de sustentabilidade do comitê.

As compensações são pagamentos feitos por emissões de carbono, que podem ser usadas em investimentos em tecnologia e projetos de produção de energia sem emissões, tais como em energia eólica.

Um relatório preparado em 2007 para o comitê estimou que os Jogos iriam produzir 110 mil toneladas de emissões diretas e 220 mil de emissões indiretas, mas esses números foram revisados este ano, já que mais dados estão disponíveis.

Vancouver será a primeira sede de Jogos Olímpicos a incluir a construção de locais de eventos e preparativos em sua estimativa do total de emissões de gases do efeito estufa, que segundo os cientistas são responsáveis pelo aquecimento global.

(Reportagem de Allan Dowd)

 
<p>O surfista Raph Bruhwiler carrega a tocha ol&iacute;mpica na costa oeste do Canad&aacute;, 103 dias antes do in&iacute;cio dos Jogos Ol&iacute;mpicos de Inverno de 2010, em Vancouver. REUTERS/Andy Clark</p>