Real Madrid e Portugal entram em choque por lesão de C. Ronaldo

sexta-feira, 6 de novembro de 2009 13:34 BRST
 

Por Iain Rogers

MADRI (Reuters) - O Real Madrid e a Federação Portuguesa de Futebol entraram em conflito sobre a eventual convocação do atacante Cristiano Ronaldo para as duas partidas da Portugal contra a Bósnia pela repescagem da Copa do Mundo.

O presidente da federação portuguesa, Gilberto Madail, disse na quinta-feira que Ronaldo gostaria de ser convocado para as partidas de 14 e 18 de novembro, apesar de uma contusão no tornozelo.

O Real afirmou que o jogador mais caro do mundo precisa de mais duas semanas de tratamento e o diretor-geral do clube, Jorge Valdano, disse nesta sexta-feira que Ronaldo não será liberado para a seleção.

"Os médicos e o bom senso impedem que Cristiano Ronaldo seja convocado por Portugal", disse ele a rádios espanholas.

O técnico do Real, Manuel Pellegrini, disse que compreende o desejo de Portugal de contar com o atacante, mas acrescentou que, em sua opinião, tanto Ronaldo quanto a federação sabem que ele não estará em condições de jogar.

"Se ele estivesse em condições já estaria jogando conosco", disse ele em entrevista coletiva nesta sexta-feira. "É compreensível que o jogador esteja preocupado. Sinto muito por ele e por Portugal."

Ronaldo se lesionou numa partida do Real contra o Olympique de Marselha pela Liga dos Campeões em 30 de setembro. A contusão se agravou durante a vitória da seleção portuguesa por 3 x 0 sobre a Hungria, 10 dias depois, e desde então ele não voltou mais a jogar.

O jogador tinha seu retorno previsto para os próximos dias, mas o Real disse na quinta-feira que exames realizados por um especialista em Amsterdã mostraram que o jogador precisa de mais duas semanas de tratamento.

 
<p>Foto de arquivo do jogador portugu&ecirc;s Cristiano Ronaldo. O Real Madrid e a Federa&ccedil;&atilde;o Portuguesa de Futebol entraram em conflito sobre a eventual convoca&ccedil;&atilde;o do atacante para as duas partidas da Portugal contra a B&oacute;snia pela repescagem da Copa do Mundo. REUTERS/Paul Hanna</p>