11 de Novembro de 2009 / às 13:42 / 8 anos atrás

Polícia encontra carta de despedida do goleiro alemão Enke

<p>Foto de arquivo do goleiro alem&atilde;o Enke, durante partida em Vaduz. A pol&iacute;cia encontrou um bilhete de despedida deixado pelo goleiro da sele&ccedil;&atilde;o alem&atilde; Robert Enke, que morreu na ter&ccedil;a-feira ao ser atingido por um trem perto de Hanover.06/09/2008.Christian Hartmann/Files</p>

Por Arno Schuetze

HANOVER, Alemanha (Reuters) - A polícia encontrou um bilhete de despedida deixado pelo goleiro da seleção alemã Robert Enke, que morreu na terça-feira ao ser atingido por um trem perto de Hanover.

"Posso confirmar que há uma carta de despedida, mas por respeito à família não direi nada além", disse o porta-voz policial Stefan Wittke a jornalistas nesta quarta-feira.

Enke, 32 anos, foi atropelado em um cruzamento ferroviário por um trem expresso que viajava de Hamburgo a Bremen a cerca de 160 quilômetros por hora.

A polícia disse que o carro do goleiro, capitão da equipe Hanover 96, estava estacionado a poucos metros dos trilhos, destrancado e com a carteira dele dentro do veículo.

A Federação Alemã de Futebol cancelou o amistoso de sábado contra o Chile devido à morte do jogador.

"Estava claro para todos nós que não poderíamos jogar essa partida contra o Chile", disse o chefe da federação, Theo Zwanziger.

A chanceler (primeira-ministra) Angela Merkel entrou em contato com a família do goleiro. "Uma morte trágica como esta não deixa ninguém intocado, e nossos pensamentos obviamente estão com a família do falecido", disse o porta-voz governamental Christoph Steegmans.

Enke jogou oito vezes pela seleção alemã e era cotado para disputar a Copa da África do Sul em 2010.

Após anos enfrentando lesões e problemas pessoais -- inclusive a morte de uma filha de dois anos, vítima de um problema cardíaco, em 2006 -, Enke parecia finalmente no rumo para se tornar o goleiro titular da Alemanha.

Ele havia passado quase uma década à sombra de Oliver Kahn e Jens Lehmann, que se aposentou no ano passado das competições internacionais. Apesar de ter sido convocado pela primeira vez em 1999, Enke só viria a jogar pela seleção em 2007.

O goleiro estreou no Borussia Moenchengladbach e depois passou por vários times do exterior, como Benfica, Barcelona e Tenerife, antes de voltar ao futebol alemão, em 2004.

O Barcelona dedicou a ele um minuto de silêncio antes da vitória sobre o Cultural Leonesa, na terça-feira, pela Copa do Rei. O Tenerife disse que seus jogadores atuarão com uma tarja preta de luto na sua partida do fim de semana pelo Campeonato Espanhol.

Na quarta-feira, centenas de torcedores se aglomeraram diante do estádio e da sede do Hanover, deixando flores e velas.

"Nós o amávamos, ele era nosso ídolo," disse um torcedor à TV Reuters. "Nunca teremos alguém como ele. Não só para nós, mas para a história do futebol essa é uma grande tragédia."

Enke deixa a esposa, Teresa, e uma filha de oito meses que o casal adotou em maio.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below