Parreira se preocupa com má fase da África do Sul antes da Copa

segunda-feira, 16 de novembro de 2009 15:24 BRST
 

Por Mark Gleeson

BLOEMFONTEIN (Reuters) - A recente forma da seleção sul-africana de futebol a pouco mais de 200 dias da Copa do Mundo é preocupante, disse o técnico Carlos Alberto Parreira nesta segunda-feira.

O treinador brasileiro, que retornou ao cargo no início do mês, afirmou que é preciso recuperar o bom espírito e a alegria depois de uma série de resultados negativos nos últimos 18 meses.

"Fora do campo as preparações para a Copa do Mundo estão bem e o torneio será uma boa forma de promover o país, mas estou preocupado sobre a equipe", disse ele em breve encontro com a imprensa em Bloemfontein, nesta segunda-feira.

"Sempre disse às pessoas fora do país que elas vão ficar surpresas com a qualidade da competição, mas como equipe do país anfitrião nosso objetivo é pelo menos passar para a fase eliminatória", acrescentou.

"Não somos uma equipe favorita. Precisamos ganhar mais peso, e com isso quero dizer mais experiência e confiança. O time precisa de um bom espírito e alegria".

Parreira reestreou pela África do Sul no empate sem gols contra o Japão em Port Elizabeth no sábado, e tem outro amistoso na terça-feira contra a Jamaica, em Bloemfontein.

Parreira, campeão do mundo pelo Brasil em 1994, foi indicado para o cargo de treinador da África do Sul em 2007 com o objetivo de montar uma equipe competitiva para o país-sede do Mundial, mas saiu depois de 18 meses devido a uma doença de sua mulher.

Seu substituto, Joel Santana, foi demitido em outubro depois de uma sequência de oito derrotas em nove jogos.

Parreira, cuja esposa já se recuperou, concordou em retornar como treinador do time sul-africano, mas afirmou que a equipe está em uma forma muito pior do que quando ele saiu em maio de 2008.

"Alguns jogadores estão para baixo, mas sabemos de suas capacidades e precisamos colocá-los de pé novamente", acrescentou.

 
<p>T&eacute;cnico da &Aacute;frica do Sul, Carlos Alberto Parreira, durante amistoso de sua equipe com o Jap&atilde;o em Port Elizabeth 14/11/2009 REUTERS/Siphiwe Sibeko</p>