ENTREVISTA-África do Sul terá "hotéis flutuantes" durante a Copa

quarta-feira, 25 de novembro de 2009 14:56 BRST
 

Por Giles Elgood

LONDRES (Reuters) - Com poucas acomodações para o quase meio milhão de visitantes esperados para a Copa do Mundo no ano que vem, a África do Sul planeja usar navios de cruzeiro como hotéis flutuantes.

Autoridades identificaram o transporte e as acomodações como duas das áreas que precisam de melhorias enquanto a África do Sul se prepara para sediar a primeira Copa no continente africano, em junho do ano que vem.

O ministro dos Transportes sul-africano, Sibusiso Ndebele, disse que Portugal, que organizou o campeonato europeu em 2004, usou de forma bem-sucedida os navios de cruzeiro para sediar os visitantes.

"Os navios serão muito importantes em 2010, tanto no transporte de pessoas quanto na hospedagem", disse Ndebele à Reuters na quarta-feira durante visita a Londres.

Ele afirmou que as autoridades da África do Sul estavam tendo uma boa resposta das companhias marítimas, mas não disse quantos navios seriam usados como "hotéis flutuantes". As embarcações devem ficar ancoradas em Durban e na Cidade do Cabo.

Ndebele garantiu que a África do Sul estava no caminho certo para fazer da Copa do Mundo um sucesso para os 450 mil visitantes estrangeiros esperados.

"O mundo quer uma Copa do Mundo bem-sucedida e estamos muito confiantes de que vamos proporcioná-la. Já organizamos eventos muito importantes na África do Sul. Foram sucessos espetaculares", disse.

O governo sul-africano está adquirindo ônibus adicionais, modernizando o sistema ferroviário e ampliando aeroportos, permitindo que os torcedores sejam transportados aos locais mais importantes da Copa do Mundo.

O maior desafio é garantir que os torcedores saibam os locais das partidas e como chegar lá. Uma das lições da Copa das Confederações foi a de que os sinais e as placas dentro e nas proximidades dos estádios precisam ser melhores, para que os fãs saibam aonde ir.

"Não é apenas o esporte, tem a ver com o transporte", disse Ndebele.