4 de Dezembro de 2009 / às 17:47 / 8 anos atrás

Copa pode mudar opinião mundial sobre a África, diz Gullit

Por Mike Collett

CIDADE DO CABO, África do Sul (Reuters) - A opinião mundial sobre a África será modificada pela Copa do Mundo no ano que vem, quer um time africano vença ou não, disse o ex-capitão da Holanda Ruud Gullit.

“A mentalidade das pessoas sobre a África já está mudando. Quando as pessoas pensam na África, pensam em fome, HIV, guerra civil - coisas como essas”, afirmou Gullit à Reuters na sexta-feira.

“Mas as coisas estão mudando. Agora há uma possibilidade real de mostrar ao mundo que a África é muito mais do que apenas isso. E, se um time africano vencer, como talvez a Costa do Marfim seja capaz, então isso seria um incentivo enorme para a África como um todo, não apenas para o futebol africano.”

Ex-jogador de futebol europeu do ano, Gullit está na África do Sul como embaixador da candidatura conjunta de Holanda e Bélgica para sediar a Copa de 2018 ou a de 2022.

Gullit, que manteve relações estreitas com o futebol africano por muitos anos, acredita que quatro dos seis finalistas do continente podem causar um impacto no torneio, que ocorrerá entre 11 de junho e 11 de julho.

“A África do Sul, como anfitriã, tem uma chance de se sair bem, mas estará nervosa”, disse ele antes do sorteio de sexta-feira.

“Nigéria e Gana também têm times muito bons e poderiam exercer um impacto real, mas a Costa do Marfim tem alguns jogadores fora de série, como Didier Drogba, Salomon Kalou, Kolo Toure”, afirmou.

“Os africanos sempre tiveram uma chance, mas por uma ou outra razão nunca chegaram lá. Em geral eles caem em pequenos detalhes, mas seria bacana se um país africano chegasse à final.”

Nenhum time africano jamais passou das quartas-de-final de uma Copa e a previsão de Pelé de que uma equipe africana venceria o torneio até o ano 2000 está agora uma década atrasada.

“Naturalmente, espero que a Holanda chegue à final”, acrescentou Gullit. “Eles estão jogando bem no momento. Eles se classificaram no topo do grupo deles, estão em terceiro nos rankings mundiais. Os jogadores holandeses estão em times por toda a Europa, na Inglaterra, na Espanha, na Itália, na Alemanha, eles estão por todo canto”, disse.

“É claro que será difícil e todos os favoritos habituais estarão lá: Brasil, os italianos, os campeões mundiais - eles sabem como jogar um campeonato.”

“Todo mundo gosta muito da Espanha e do modo como eles jogam. Portugal tem uma chance melhor do que já teve no passado, eles também têm um time muito bom.”

No final, porém, Gullit acredita que a África sairá vencedora qualquer que seja o campeão.

“Estou convencido de que eles mostrarão ao mundo um outro lado da história africana - um lado muito bem-sucedido também.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below