Seleções prometem corte de CO2 em viagem à África do Sul

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009 17:27 BRST
 

COPENHAGUE (Reuters) - Mais de metade dos 32 países classificados para a Copa do Mundo se comprometeram em reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa resultantes das viagens de suas equipes para a África do Sul, disse a ONU nesta segunda-feira.

"Trabalhamos nisso nas últimas semanas", disse o chefe do Programa de Meio Ambiente da Organização das Nações Unidas (ONU), Achim Steiner, em entrevista coletiva durante a conferência de clima aberta nesta segunda-feira em Copenhague.

"Esperamos ter uma adesão de 100 por cento", acrescentou.

A viagem das equipes e dos torcedores será responsável por mais de 80 por cento das emissões de gases-estufa da Copa do Mundo de 2010, disseram a ONU e a organização independente Global Environment Facility.

"Somos um destino de longa-distância. Mais de 90 por cento dos viajantes para a África do Sul terão de usar avião", disse Dorah Nteo, do departamento ambiental sul-africano.

A pegada de carbono das seleções e torcedores que irão ao Mundial será de 1,62 milhão de toneladas de carbono equivalente e terá um custo de 32,5 milhões de dólares para compensação, de acordo com estimativas iniciais do órgão ambiental da ONU.

Sérvia, Uruguai e Coreia do Sul concordaram em compensar as emissões da viagem de suas equipes, enquanto Argentina, Brasil, Camarões, Chile, Costa do Marfim, Inglaterra, Grécia, Itália, Japão, Holanda, Nova Zelândia, Nigéria, Estados Unidos, África do Sul, Austrália e México disseram que apoiam a ideia e estão estudando como implementá-la, disse a ONU.

Contribuir para projetos de desenvolvimento ambiental seria uma forma de compensar as emissões, disse a organização.

Steiner disse esperar que os espectadores também compensem suas pegadas de carbono.   Continuação...