COI redistribui 2 medalhas ganhas em Sydney por Marion Jones

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009 18:35 BRST
 

Por Karolos Grohmann

LAUSANNE, Suíça (Reuters) - A medalha de ouro nos 200 metros rasos e a de bronze no salto em distância que Marion Jones ganhou na Olimpíada de Sydney de 2000 foram redistribuídas na quarta-feira pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

Já o ouro ganho por ela nos 100 metros rasos, que deveria passar para a grega Katerina Thanou, ficará sem dona por causa do posterior envolvimento de Thanou num caso de doping. O COI disse que uma decisão desse tipo é inédita.

Jones perdeu em 2007 suas medalhas de ouro nos 100, 200 e 4x400, e de bronze no salto e no 4 x 100, depois de admitir o uso de substâncias proibidas. Ela cumpriu seis meses de prisão nos EUA por mentir a promotores federais a respeito do uso de esteroides.

Thanou faltou a três exames antidoping às vésperas da Olimpíada de 2004 e está sendo processada na Grécia por ter simulado um acidente de moto para evitar um dos testes.

Mark Adams, porta-voz do COI, disse haver "um forte argumento moral e um bom argumento jurídico" para não passar a medalha de ouro para Thanou. "Acredito que seja a primeira vez (que a medalha de ouro fica sem dono)," disse ele. "Não somos juridicamente obrigados a dar medalhas."

Thanou, que foi proibida pelo COI de competir também em Pequim-08, manterá a medalha de prata, junto com a jamaicana Tanya Lawrence, que havia ficado em terceiro lugar. Merlene Ottey, que então competia pela Jamaica (depois passou a correr pela Eslovênia), foi alçada à medalha de bronze.

Ottey, que em 2000 já tinha 40 anos, acumula agora seis medalhas de bronze e duas de prata em sete Olimpíadas.

Na prova dos 200 metros, Pauline Davis-Thomson, das Bahamas, herdou o ouro de Jones. Susanthika Jayasinghe, do Sri Lanka, foi alçada à prata, e a jamaicana Beverly McDonald receberá o bronze.

No salto em distância, a medalha de bronze que era de Jones ficará com a russa Tatyana Kotova.

As equipes de revezamento da qual Jones participou também perderam suas medalhas, mas um recurso sobre o caso ainda tramita na Corte de Arbitragem do Esporte. Enquanto isso, não haverá decisão sobre qual país receberá os prêmios.