Justiça britânica proíbe fotos eróticas de Tiger Woods

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009 19:18 BRST
 

Por Pascal Fletcher

MIAMI (Reuters) - A Justiça da Grã-Bretanha emitiu liminar na quinta-feira proibindo a divulgação no país de fotos ou vídeos que mostrem o golfista Tiger Woods nu ou fazendo sexo, disse o advogado dele, Simon Smith, na sexta-feira.

Woods vem enfrentando forte marcação da mídia nos últimos dias por causa das suspeitas de que teria traído sua esposa e que ela teria por causa disso provocado um acidente de carro que o deixou levemente ferido.

Uma carta dos advogados que acompanha a liminar declara que "esta ordem (judicial) não deve ser tomada como uma admissão de que tais fotografias existam".

Woods, de 33 anos, melhor golfista do mundo e um dos esportistas mais bem pagos do planeta, dono de uma fortuna estimada em 1 bilhão de dólares, admitiu em nota que cometeu "transgressões", aparentemente referindo-se a casos extraconjugais citados na imprensa, e pediu que sua privacidade seja respeitada. Ele é casado com uma sueca e tem dois filhos pequenos.

O escândalo afeta a imagem até agora cuidadosamente preservada de Woods como a de um esportista perfeccionista, o que servia de base para lucrativos contratos publicitários.

A liminar britânica, à qual o site norte-americano de fofocas TMZ.com teve acesso, proíbe a publicação no país europeu de "quaisquer fotografias, gravações ou imagens tiradas ou obtidas (em que apareçam) o reclamante nu, ou quaisquer partes do corpo nu do reclamante, ou ele envolvido em qualquer atividade sexual".

Sites e tabloides britânicos e norte-americanos têm publicado comentários e fotos de várias mulheres que dizem ter tido relações sexuais com Woods, inclusive garçonetes e atrizes pornôs.