Kobayashi vai correr pela equipe Sauber na F1

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009 14:47 BRST
 

LONDRES (Reuters) - Kamui Kobayashi vai competir pela equipe Sauber na próxima temporada da Fórmula 1, garantindo que o Japão tenha ao menos um piloto no grid de largada agora que a Toyota seguiu a Honda e deixou a categoria.

O piloto de 23 anos impressionou após competir como substituto do alemão Timo Glock na Toyota nas últimas duas corridas desse ano.

"Nos dois últimos grandes prêmios da última temporada ele recebeu uma chance inesperada para mostrar suas habilidades, e fez uso impressionante disso", disse o fundador da equipe, Peter Sauber, em comunicado nesta quinta-feira.

"Particularmente na corrida de Abu Dhabi, ele demonstrou que não apenas consegue dirigir rápida e agressivamente, mas tem habilidade de implementar uma estratégia com sucesso. Estou convencido que ele tem muito potencial e será capaz de usá-lo ao máximo em nossa equipe", acrescentou.

Kobayashi, que nasceu em Amagasaki e mora em Paris, encerrou a temporada em Abu Dhabi esperando por uma vaga na Toyota, mas se preocupava em ter de voltar ao Japão para trabalhar no restaurante de sushi do pai caso não houvesse outra oferta de emprego.

O japonês terminou em sexto lugar na última prova da temporada, após largar em 12o. Ele deixou pelo caminho o novo campeão mundial da Brawn, Jenson Button, e o experiente italiano, Jarno Trulli, seu então colega de equipe.

Kobayashi terminou em nono em sua estréia na F1 no GP do Brasil. Ele guiou pela primeira vez um carro de F1 após 7 meses nos treino para a corrida do Japão, duas semanas antes de Interlagos.

Vencedor do Asian GP2 mas menos vitorioso na versão européia da série, Kobayashi não tinha economias pessoais para continuar a competir.

 
<p>O piloto Kamui Kobayashi do Jap&atilde;o compete pela equipe Toyota da Formula 1 no Grand Prix da F1 em Abu Dhabi, circuito Yas Marina, no dia 1o de novembro de 2009. Nessa quinta-feira, o Kobayashi foi anunciado como piloto da Sauber para a temporada do ano que vem.(Foto Arquivo Reuters) REUTERS/Caren Firouz</p>