Ghiggia, carrasco da Copa de 50, é homenageado no Maracanã

terça-feira, 29 de dezembro de 2009 14:46 BRST
 

Por Stuart Grudgings

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O homem responsável pelo maior trauma da história do futebol brasileiro voltou ao palco de seu gol mais famoso, neste terça-feira, desta vez para ser homenageado como 100o integrante da Calçada da Fama do Maracanã.

Alcides Ghiggia, autor do gol que deu ao Uruguai o título mundial de 1950 com uma vitória por 2 x 1 sobre o Brasil, colocou seus pés no espaço reservado a grandes nomes do esporte como Pelé, Zico, Franz Beckenbauer e Eusébio.

O senhor de 83 anos recusou-se a responder perguntas dos repórteres no estádio, limitando-se a poucas palavras de agradecimento antes de encerrar com um "Viva Brasil" e partir.

"Estou emocionado", disse ele. "Quero apenas agradecer a todos do fundo do meu coração pela recepção que tive."

O gol de Ghiggia foi responsável por silenciar as quase 200 mil pessoas que estavam no recém-construído Maracanã confiantes numa primeira conquista do Brasil em Copa do Mundo.

Após golear Suécia e Espanha nas partidas anteriores, o Brasil precisava apenas de um empate contra o Uruguai para conquistar o título mundial em casa, uma vitória que era dada como certa pelos jornais brasileiros antes mesmo da partida.

Mas, apesar de ter saído na frente com um gol de Friaça, a seleção brasileira não soube controlar os nervos e levou a virada quando Ghiggia arrancou pela ponta direita e marcou o gol que calou o então maior estádio do mundo.

A derrota marcou a carreira dos jogadores brasileiros pelo restante de suas vidas e até hoje é lembrada como "Maracanazzo".

Recordista de títulos mundiais, com 5 conquistas, o Brasil espera colocar um ponto final definitivo na derrota de 1950 quando receber a Copa do Mundo mais uma vez, em 2014, com a final prevista para o Maracanã.

 
<p>Ex-jogador uruguaio Ghiggia mostra marcas de seus p&eacute;s que ficar&atilde;o na Cal&ccedil;ada da Fama do Maracan&atilde; REUTERS/Bruno Domingos</p>