9 de Janeiro de 2010 / às 00:12 / 8 anos atrás

Ataque a ônibus da seleção de futebol do Togo mata um e fere 9

Por Henrique Almeida

LUANDA (Reuters) - Homens armados abriram fogo contra o veículo que levava a seleção de futebol do Togo para a Copa Africana de Nações, em Angola, nesta sexta-feira, matando o motorista e ferindo outras nove pessoas, incluindo dois jogadores, disse um representante da seleção.

O ônibus havia entrado no enclave angolano de Cabinda, onde separatistas mantêm uma guerra há três décadas, e ficou sob a mira de tiros por 20 minutos.

Muitos jogadores que participam do campeonato jogam em clubes de alto nível do futebol europeu, como o camaronês Samuel Eto'o, da Inter de Milão, o marfinense Dider Drogba, do Chelsea. Emmanuel Adebayor, do Manchester City, estava no veículo, mas escapou ileso.

O grupo separatista Frente para Liberação do Enclave de Cabinda (Flec) assumiu a autoria do ataque, que ocorreu dois dias antes do evento, que deve atrair milhares de africanos nas próximas três semanas.

"Esta operação é apenas o início de uma série de ações planejadas que continuará ocorrendo em todo o território de Cabinda", disse em comunicado o secretário-geral da Flec, Rodrigues Mingas.

Os organizadores da Copa, a Confederação Africana de Futebol (CAF, na sigla em inglês), garantiu a continuidade dos jogos, apesar do ataque.

"Nossa prioridade é a segurança dos jogadores, mas o torneio será levado adiante", disse o porta-voz da entidade, Suleimanu Habubu, em Luanda.

O governo angolano disse que reforçará a segurança para que a Copa Africanas de Nações, que acontece entre 10 e 31 de janeiro em quatro províncias, incluindo Cabinda, aconteça pacificamente.

Angola, que sedia o evento, esperava que o torneio servisse para mostrar como o país se recuperou de décadas de guerra civil.

"A reação da escolta (policial) significou que o estrago foi limitado e que temos agora nove pessoas feridas no hospital", afirmou à Reuters TV Winny Dogbatse, importante autoridade de Togo.

O atacante de Togo, Thomas Dossevi, disse a uma rádio francesa como ele e seus companheiros se protegeram dos tiros dentro do ônibus durante o ataque.

"Cruzamos a fronteira cerca de cinco minutos antes e o ônibus ficou sob tiros por cerca de 15 minutos. Nos protegemos como podíamos", disse à rádio France Info.

O site do jornal francês L'Equipe disse que os jogadores feridos são Serge Akakpo, que joga pelo clube romeno Vaslui, e o goleiro reserva Kodjovi Obilale, atleta do time francês Pontivy.

O ministro Antonio Bento Bembe, responsável pela região de Cabinda, disse que o ataque foi um "ato de terrorismo".

A Fifa expressou "condolências extremas" à seleção de Togo, que deve jogar contra Gana pelo grupo B na segunda-feira.

O ataque acontece cinco meses antes de a África do Sul se tornar o primeiro país africano a sediar uma Copa do Mundo.

Reportagem adicional de John Zodzi e de Noel Kokou Tadegnon, em Lome, e de Mark Gleeson, na Cidade do Cabo

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below