Rebeldes dizem que ataque foi direcionado a angolanos, não Togo

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010 11:55 BRST
 

PARIS (Reuters) - Os rebeldes que atacaram um ônibus que transportava a seleção de futebol de Togo para a Copa Africana de Nações em Angola pretendia atacar apenas a escolta de segurança e não a equipe, disse o líder rebelde nesta segunda-feira.

"Esse ataque não foi direcionado aos jogadores togoleses, mas às forças angolanas que lideravam a escolta", disse Rodrigues Mingas, secretário-geral da Frente de Libertação do Estado de Cabinda (Flec).

"Então foi puro azar que os tiros atingiram os jogadores. Não temos nada a ver com os togoleses e oferecemos nossas condolências às famílias africanas e ao governo de Togo. Nós estamos lutando pela libertação total de Cabinda", disse ele ao canal de televisão France 24.

As Flec, que vem lutando pela independência da província do norte de Angola há 30 anos, já assumiu a responsabilidade pelo ataque de sexta-feira.

(Reportagem de James Mackenzie na França)