Recessão não afetará público dos Jogos Olímpicos 2012, diz Coe

terça-feira, 26 de janeiro de 2010 22:17 BRST
 

Por Avril Ormsby

LONDRES (Reuters) - Os Jogos Olímpicos de 2012, em Londres, terão estádios e instalações lotados apesar da crise econômica internacional, disse nesta terça-feira o presidente do Comitê Organizador, o ex-atleta britânico Sebastian Coe.

O campeão olímpico de 1980, em Moscou, e de 1984, em Los Angeles, garantiu que uma possível mudança de governo em 2010 não alteraria os planos para organizar os Jogos.

"Não duvido nem por um minuto que teremos os estádios cheios neste país", disse o bicampeão olímpico nos 1.500 metros em entrevista à Reuters.

Os organizadores de Londres 2012 estão decididos a evitar que as cadeiras fiquem vazias, como aconteceu em muitos lugares durante os Jogos de Pequim 2008, apesar de a Grã-Bretanha ter recém-saído de uma das mais longas e profundas recessões em décadas.

Cerca de nove milhões de ingressos para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos serão vendidos em 2011, com os quais seriam arrecadados 400 milhões de libras esterlinas, ou 645,4 milhões de dólares.

A política sobre venda de ingressos e preços ainda será estabelecida, mas o objetivo de oferecer entradas mais baratas recebeu um revés quando os eventos de softbol e beisebol foram eliminados do programa olímpico.

"Qual é nosso objetivo geral?", perguntou Coe. "Está muito claro. Queremos estádios cheios (...) com ingressos acessíveis", destacou.

Este ano será decisivo para a preparação dos Jogos Olímpicos em termos de política operativa, como instalações e seleção de voluntários, assim como logística, transporte e tecnologia.   Continuação...

 
<p>Foto arquivo mostra trabalhadores continuando a constru&ccedil;&atilde;o do Centro Aqu&aacute;tico Ol&iacute;mpico na Vila Ol&iacute;mpica de Londres. Os Jogos Ol&iacute;mpicos de 2012, dever&atilde;o ter est&aacute;dios e instala&ccedil;&otilde;es lotados apesar da crise econ&ocirc;mica internacional. REUTERS/Stephen Hird</p>