Europa pressiona, mas Copa-18 segue indefinida

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010 18:43 BRST
 

Por Julien Pretot

LUANDA (Reuters) - A Copa do Mundo de 2018 pode acontecer na Ásia ou nos Estados Unidos, apesar da crescente pressão da Europa para restringi-la a candidaturas desse continente, disse na sexta-feira o presidente da Fifa, Joseph Blatter.

Em entrevista coletiva antes da final, no fim de semana, da Copa Africana de Nações em Angola, Blatter reiterou algo que já havia dito há poucos dias em Madri, quando afirmou que no momento a Copa de 2018 está aberta a candidaturas de todos os continentes - ainda que isso possa vir a mudar.

Algo inédito na história da competição, haverá duas edições consecutivas fora da Europa -- em 2010 na África do Sul e em 2014 no Brasil.

"Quando a Fifa abriu o procedimento de candidaturas para 2018 e 2022, estava aberto a todos, exceto África e América do Sul, por já estarem organizando as Copas do Mundo de 2010 e 2014", disse Blatter em Angola na sexta-feira.

"Agora temos as candidaturas dos EUA, para 2018 e 2022, quatro candidaturas da Europa, temos a Austrália e temos os asiáticos: Coreia do Sul, Japão, Catar e Indonésia".

Ele admitiu que "há um movimento para que 2018 deva ir para a Europa", mas afirmou: "Eu disse que isso é uma possibilidade apenas se outras associações não se candidatarem. Não é uma decisão para o comitê executivo mudar o direito de cada associação se candidatar a uma Copa do Mundo".

A decisão sobre as sedes de 2018 e 22 será tomada em dezembro pelo comitê executivo da Fifa. Atualmente, há quatro candidaturas europeias para os dois Mundiais: Inglaterra, Holanda/Bélgica, Rússia, Portugal/Espanha.

Indonésia, Catar e Coreia do Sul são candidatos apenas para 2022. Japão e Austrália anunciaram nesta semana que mantêm sua intenção de realizar o torneio em 2018.

Blatter havia dito na segunda-feira que estava em discussão um acordo pelo qual apenas países europeus se candidatariam em 2018, revelando que havia conversado sobre o assunto com Michel Platini, presidente da Uefa (entidade que dirige o futebol europeu).

(Reportagem adicional de Mike Collett em Londres)