Pelé defende Brasil ofensivo e pede paciência com Dunga

sábado, 6 de fevereiro de 2010 16:23 BRST
 

RIO (Reuters) - Com a experiência de seus três títulos mundiais, Pelé defendeu neste sábado que a seleção brasileira tenha espaço para os melhores jogadores e citou como exemplo a vitoriosa equipe de 1970, famosa por seu futebol ofensivo.

Pelé, no entanto, pediu que a torcida tenha paciência com o técnico Dunga e demonstrou confiança no trabalho do treinador.

"Sempre tem lugar para todo mundo. Tem que jogar quem é melhor," disse Pelé a jornalistas, após recepcionar a taça da Copa do Mundo no Rio de Janeiro como parte de uma turnê mundial promocional do troféu.

"A seleção de 1970 todo mundo dizia que o Pelé, o Tostão e o Rivelino não poderiam jogar juntos, já que ficávamos na mesma parte do campo. E o Zagallo conseguiu montar bem e deu tudo certo," acrescentou.

O tricampeão mundial citou como exemplo de jogadores que deveriam ter lugar na seleção Ronaldinho Gaúcho e Robinho, que atravessarem momentos ruins em suas carreiras recentemente.

Pelé, porém, disse que não quer colocar pressão sobre Dunga para convocar determinados jogadores.

"Peço aos brasileiros que tenham calma com o Dunga, que ele tenha tranquilidade para trabalhar com a seleção brasileira. Ele com certeza vai fazer um bom trabalho na Copa do Mundo," disse.

"A torcida é o 12o jogador da seleção."

Perguntado sobre os maiores favoritos aos título no Mundial da África do Sul, Pelé preferiu fugir de polêmica e citou várias seleções, especialmente as campeãs do mundo. Mas deixou escapar que Brasil, Argentina e Itália são os mais fortes na opinião dele.

(Por Pedro Fonseca, com reportagem da Reuters TV)

 
<p>O tricampe&atilde;o mundial de futebol Pel&eacute; beija o trof&eacute;u da Copa do Mundo em evento no Rio de Janeiro neste s&aacute;bado. Ele defendeu neste s&aacute;bado que a sele&ccedil;&atilde;o brasileira tenha espa&ccedil;o para os melhores jogadores. 06/02/2010. REUTERS/Sergio Moraes</p>