13 de Fevereiro de 2010 / às 16:13 / em 8 anos

Paradinha no pênalti será discutida pela International Board

Por Brian Homewood

ZURIQUE (Reuters) - A entidade que regulamenta o futebol irá discutir o uso de tecnologia na linha de gol, a paradinha na hora da cobrança de pênalti e a utilização de bandeirinhas extras atrás dos gols em seu próximo encontro em março.

A International Football Association Board (Ifab) irá considerar também mudanças nas regras no que diz respeito ao tratamento de jogadores contundidos, de acordo com a agenda divulgada pela Fifa, e debater a expulsão automática do último jogador que impedir uma chance clara de gol com uma falta.

A pressão tem crescido para permitir o uso da tecnologia, especialmente depois do incidente em que Thierry Henry colocou a mão na bola durante as eliminatória da Copa do Mundo na partida entre França e Irlanda.

Henry colocou a mão na bola duas vezes antes do gol decisivo que deu a vitória por 2 x 1 para França, mas o árbitro não viu.

A Ifab irá também discutir a experiência este ano na liga europeia, quando um bandeirinha extra será colocado atrás de cada gol para ajudar o árbitro em relação a infrações cometidas dentro da área.

A paradinha na hora do pênalti, permitida atualmente a menos que o juiz considere uma atitude antidesportiva, chamou a atenção com um incidente feio durante a Copa Africana de Nações.

ÁRBITRO AGREDIDO

O goleiro da Argélia, Fawzi Chaouchi, se enfureceu quando o egípcio Hosni Abd Rabou fez a paradinha antes da cobrança de pênalti, perseguiu o árbitro, o agarrou por trás e deu uma cabeçada nele antes de ser retirado pelos colegas de time.

O árbitro Bonaventure Coffi Codjia foi suspenso por não ter expulsado Chaouchi no momento do incidente, embora o goleiro da Argélia tenha sido expulso depois por um segundo cartão amarelo na derrota por 4 x 0 na semifinal da competição.

A expulsão automática do último jogador que impede um gol iminente do adversário com falta ou com a mão também será discutida.

A Ifab disse que a situação atual constitui uma “tripla punição” com o pênalti, o cartão vermelho e a suspensão automática.

A entidade disse ainda que irá considerar a mudança da regra que diz que um jogador contundido deve ser tratado fora de campo.

Ela propõe uma exceção no caso da contusão ser o resultado de uma falta cometida pelo jogador adversário.

“A regra foi implementada para desencorajar qualquer tipo desnecessário de desperdício de tempo ou paradas na partida”, afirmou a Ifab. “Em termos gerais, isso não foi bem-sucedido.”

“Além disso, times que têm sido vítimas de jogo violento ainda têm a desvantagem de serem forçados a tirar o jogador de campo, em certos casos neutralizando a efetividade do aviso inicial do árbitro.”

Outra mudança proposta refere-se às macas, que devem entrar em campo toda vez que um médico é solicitado, que passariam a ser permitidas no gramado apenas se o juiz solicitar.

Fundada em 1886 e considerada a guardiã da regras do jogo, a Ifab é composta pelas federações da Inglaterra, Escócia, Gales e Irlanda do Norte, sendo que cada uma tem direito a um voto, e a Fifa, que tem direito a quatro. Setenta e cinco por cento de maioria é necessário para que qualquer proposta seja aprovada.

O próximo encontro será em Zurique, em 6 de março.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below