Cabañas deixa UTI e risco de morte fica menor

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010 15:40 BRST
 

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O atacante da seleção paraguaia de futebol Salvador Cabañas deixará nesta quarta-feira a unidade de terapia intensiva, uma vez que pode mover mais o corpo, três semanas depois de ter recebido um tiro na cabeça, disse um de seus médicos.

Cabañas, de 29 anos e jogador do clube mexicano América, ficou à beira da morte desde o dia 25 de janeiro, quando levou o tiro durante uma briga em um bar na Cidade do México.

"A evolução tem sido muito favorável, ele consegue ficar bem sem a drenagem ventricular e está com seus movimentos mais ágeis e fortes, inclusive já quer levantar, mas não deixamos pelo esforço que precisa fazer", disse o médico Ernesto Martínez em entrevista coletiva.

"Assim já podemos tirá-lo da terapia intensiva e vamos transferi-lo para um quarto, o que quer dizer que o risco de morte está se afastando", acrescentou.

O paraguaio se recupera em um hospital na Cidade do México, mas segue correndo risco de morte já que os médicos não conseguiram retirar a bala da cabeça do jogador.

Os médicos afirmam que a bala alojada na cabeça não representaria um obstáculo para que Cabañas pudesse voltar a jogar futebol.

A polícia continua buscando o agressor de Cabañas, que ajudou o Paraguai a se classificar para o Mundial, onde disputará o Grupo F ao lado de Itália, Nova Zelândia e Eslováquia.

Segundo depoimentos de testemunhas às autoridades, José Jorge Balderas Garza, conhecido como "El JJ", criticou Cabañas por suas atuações no América e disparou contra o jogador após um desentendimento.

(Reportagem de Carlos Calvo)