Chelsea pode improvisar Belletti; Júlio César é dúvida na Inter

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010 18:18 BRT
 

Por Mark Meadows

MILÃO (Reuters) - O Chelsea pode ser forçado a escalar o lateral brasileiro Belletti na esquerda no jogo de quarta-feira contra a Inter de Milão pelas oitavas-de-final da Liga dos Campeões, disse o técnico Carlo Ancelotti nesta terça-feira.

O titular Ashley Cole está fora por causa de uma fratura no tornozelo, enquanto o reserva, o russo Yuri Zhirkov, teve que sair de campo lesionado durante a vitória de 2 x 0 sobre o Wolverhampton Wanderers, no sábado. Já o defensor Paulo Ferreira não está inscrito na Liga dos Campeões.

"Temos problemas porque estamos sem dois bons jogadores", disse Ancelotti, ex-treinador do Milan, em entrevista coletiva.

"Temos o Belletti, que pode jogar na esquerda ... ele ficou fora (por contusão) por um tempo mas treinou bem toda a semana. Encontraremos uma solução mesmo que a ausência de Cole e Zhirkov nos atrapalhe."

Outra opção para Ancelotti é a escalação do meia Florent Malouda pelo lado esquerdo da defesa.

O técnico da Inter, José Mourinho, ex-comandante do Chelsea, também tem os defensores pela esquerda Davide Santon e Cristian Chivu machucados.

Ele deve colocar o capitão Javier Zanetti na esquerda, mas disse que há chance de escalar Ivan Córdoba na vaga, e então Zanetti seria deslocado para o meio.

Existem dúvidas também sobre o goleiro brasileiro Júlio César, que não participou do treino de segunda-feira por causa de um acidente de carro, mas treinou nesta terça.

"Não tenho certeza se ele vai jogar", disse Mourinho. "Não sei como ele vai acordar amanhã. Depois de um acidente de carro, você não sabe como o corpo reage 24 horas ou mesmo depois."

 
<p>Belletti domina a bola em partida. O Chelsea pode ser for&ccedil;ado a escalar o lateral brasileiro Belletti na esquerda no jogo de quarta-feira contra a Inter de Mil&atilde;o pelas oitavas-de-final da Liga dos Campe&otilde;es, disse o t&eacute;cnico Carlo Ancelotti nesta ter&ccedil;a-feira.03/11/2009.REUTERS/Felix Ordonez</p>