Copa do Mundo estimula economia da África do Sul

terça-feira, 2 de março de 2010 20:00 BRT
 

Por Mark Gleeson

DURBAN (Reuters) - A Copa do Mundo estimulou a economia da África do Sul durante a recessão global, mas a indústria do turismo não deverá explorar os visitantes estrangeiros durante o campeonato de futebol, disse o presidente interino Kgalema Motlanthe na terça-feira.

Em uma entrevista coletiva conjunta ao lado de Motlanthe, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, atacou os céticos que duvidaram que a África do Sul fosse capaz de organizar o evento, mas afirmou que ele algumas vezes precisou pressionar as autoridades para garantir que tudo ficasse pronto a tempo.

"De tempos em tempos tivemos de colocar alguma pressão, mas nunca tive nenhuma dúvida. Agora é o momento para o mundo do futebol aceitar que o torneio irá adiante na África do Sul", disse ele, enquanto começa a contagem regressiva de 100 dias para a Copa do Mundo.

"Percorremos um longo caminho para chegar aonde estamos agora, a apenas 100 dias do início. Foi uma longa via pavimentada com confiança e segurança, mas também paciência", afirmou Blatter, repetindo um bordão habitual dos últimos meses.

"Houve muito o que fazer para mudar as mentalidades e convencer as pessoas, mesmo dentro da Fifa", disse o dirigente sobre a decisão de permitir apenas países africanos na disputa para ser a sede do Mundial de 2010. "O sonho agora é uma realidade", acrescentou.

Motlanthe afirmou que a Copa do Mundo trouxe benefícios econômicos importantes à África do Sul.

"Investimos bilhões em infraestrutura antes da recessão mundial e esses benefícios já foram sentidos por todos os sul-africanos. Abrigar a Copa do Mundo terá um impacto importante sobre o turismo. O país está numa posição para se beneficiar imensamente com isso", disse ele.

AVISO CONTRA A EXPLORAÇÃO   Continuação...

 
<p>A cidade sul-africana de Johanesburgo, com um an&uacute;ncio da Copa ao fundo. 18/02/2010 REUTERS/Euroluftbild.de</p>