Chile quer organizar Copa América de 2015 apesar de terremoto

domingo, 7 de março de 2010 10:57 BRT
 

SANTIAGO (Reuters) - Os danos causados pelo terremoto devastador que atingiu o Chile não vai impedir o país de sediar a Copa América de 2015, de acordo com o presidente da federação local de futebol.

O Brasil, que seria o país pré-determinado para organizar o torneio, estuda abrir mão da competição para os chilenos, uma vez que a Copa das Confederações de 2013, a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016 já serão realizados no Brasil.

Os enormes danos causados à infraestrutura do Chile após o terremoto de magnitude 8,8 ocorrido na semana passada nas regiões centro e sul do país também atingiu alguns estádios das zonas mais afetadas.

Harold Mayne-Nicholls, presidente da Associação Nacional de Futebol Profissional (ANFP), disse na noite de sábado que se mantém confiante em organizar o tradicional torneio continental em 2015. No calendário preliminar, o Chile seria a sede em 2019, data que caberia ao Brasil caso a troca seja confirmada.

"Se o Brasil nos ceder a Copa América de 2015 não vejo nenhuma razão para que não se possa realizar. Até o dia de hoje o Brasil ainda não fez isso oficialmente, mas se acontecer isso de fato o país estará pronto para organizar", disse Mayne-Nicholls à Reuters por telefone.

"Seria mais um motivo para trazer alegria a tanta gente que sofreu com este terremoto. Seria espetacular", acrescentou o dirigente.

O pior desastre natural a ter atingido o Chile em 50 anos, e que incluiu uma série de tsunamis no litoral do país, deixou até o momento ao menos 452 mortos, centenas de desaparecidos e 2 milhões de pessoas afetadas.

Especialistas calcularam inicialmente o prejuízo causado pelo tremor em 30 bilhões de dólares, ou 15 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) chileno.

(Reportagem de Claudio Cerda)