10 de Março de 2010 / às 14:34 / 7 anos atrás

Confira as perspectivas das equipes para a temporada 2010

<p>Ilustra&ccedil;&atilde;o dos carros de F1. Perspectivas de cada equipe da F&oacute;rmula 1 para a temporada que se inicia no domingo com o Grande Pr&ecirc;mio do Barein (listadas pela ordem do campeonato).RNGS</p>

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - Perspectivas de cada equipe da Fórmula 1 para a temporada que se inicia no domingo com o Grande Prêmio do Barein (listadas pela ordem do campeonato):

MERCEDES (BRAWN GP)

Michael Schumacher (Alemanha), Nico Rosberg (Alemanha)

A volta do heptacampeão Schumacher, que se aposentou na Ferrari em 2006, é o grande destaque ao lado da mudança de Jenson Button para a McLaren. Vencedor de 91 corridas, Schumacher mostrou nos testes ainda ter ritmo, embora a Mercedes não tenha parecido ter o carro mais veloz. Rosberg, filho do ex-campeão Keke, ainda não venceu uma corrida após quatro temporadas na Williams, mas está bem colocado. Com Ross Brawn no comando, os recursos da Mercedes e a presença de Schumacher, a equipe pode voltar a lutar pelos dois títulos, porém pode levar uma corrida ou duas até entrar nos eixos.

RED BULL

Mark Webber (Austrália), Sebastian Vettel (Alemanha)

Única grande equipe sem novos pilotos, a Red Bull venceu as últimas três provas de 2009 e é seguro apostar que manterá esse desempenho. O time pareceu estar à altura da Ferrari pelos bons tempos nos testes, mas vai necessitar de carros mais confiáveis este ano. Dado o brilho de Adrian Newey como designer, espera-se que voltem a brigar pelo título. Webber superou a lesão na perna do ano passado e, às vésperas do final de seu contrato, está determinado a vencer. Vettel foi vice-campeão em 2009 e vai querer mostrar a Schumacher que é o alemão mais forte nas pistas agora.

MCLAREN

Jenson Button (Grã-Bretanha), Lewis Hamilton (Grã-Bretanha)

A chegada de Button faz da McLaren a primeira equipe a iniciar a temporada com os dois últimos detentores do título e a primeira desde 1989 a ter dois campeões. Essa pode ser uma receita para o atrito, assim como pode abrir as portas para outro piloto buscar o campeonato se tirarem pontos um do outro. Ambos devem ter um carro capaz de vencer corridas e receberam garantias de tratamento igual, e se fizerem sua parte, a McLaren pode terminar o ano como campeã dos construtores pela primeira vez desde 1998. Seu carro tem sido consistente nos testes, mas ainda pode melhorar muito.

FERRARI

Fernando Alonso (Espanha), Felipe Massa (Brasil)

O recém-chegado Alonso e a Ferrari parecem uma combinação imbatível. Na Renault, ele tirou o título da Ferrari e de Schumacher em 2005 e 2006 e será o favorito de muitos este ano para conseguir uma terceira coroa. Em tom ameaçador, o espanhol disse no mês passado que a Ferrari F10 é o melhor carro que ele já pilotou e que a equipe está escondendo seu verdadeiro potencial. Massa volta de um acidente que quase lhe tirou a vida na Hungria em julho passado e está determinado a se mostrar competitivo como sempre. A Ferrari vem trabalhando em seu carro intensamente desde a metade de 2009 e pareceu muito veloz nos testes.

SAUBER

Pedro de la Rosa (Espanha), Kamui Kobayashi (Japão)

O carro, desenvolvido antes da ex-proprietária BMW sair de cena, pareceu competitivo nos testes, embora o desempenho pré-temporada possa ser enganador. O orçamento e os recursos podem ser um problema, mas a dupla de pilotos parece consistente. De la Rosa é um veterano com anos de experiência como piloto de teste da McLaren e o novato Kobayashi conquistou muitos admiradores em seu desempenho como substituto da Toyota no final do ano passado. A equipe deve ocupar a metade da classsificação e o pódio deve ficar fora de alcance.

WILLIAMS

Rubens Barrichello (Brasil), Nico Hulkenberg (Alemanha)

A equipe ex-campeã do mundo não ganha uma corrida desde 2004 e vai precisar que tudo se encaixe para sair do meio da tabela este ano. Barrichello traz muita experiência como vencedor de provas, o que vai ajudar o badalado novato Hulkenberg, que impressionou durante os meses de testes. Uma dúvida paira sobre o motor Cosworth, embora o último teste da pré-temporada em Barcelona tenha corrido bem.

RENAULT

Robert Kubica (Polônia), Vitaly Petrov (Rússia)

Muita coisa mudou desde os dias em que a Renault era a equipe a derrotar. Faltou aderência ao carro nos testes, mas o time deve apresentar melhorias no Barein. O empresário Gerard Lopez é o manda-chuva agora, enquanto Eric Boullier assumiu como chefe na era pós-Flavio Briatore. Kubica é a bola da vez, um piloto talentoso e determinado que vai empurrar a equipe adiante. Petrov é o primeiro piloto russo na F1 e tem pouco tempo para aprender. A Renault corre graças à suspensão da expulsão permanente recebida após a fraude do ano passado.

FORCE INDIA

Vitantonio Liuzzi (Itália), Adrian Sutil (Alemanha)

A Force India mostrou na temporada passada estar progredindo: obteve sua primeira pole, pontos e um pódio. O motor Mercedes é forte e o acordo de cooperação com a McLaren é uma vantagem. Apesar dos milhões do proprietário Vijay Mallya, o orçamento continua apertado. Liuzzi é rápido e está disposto a mostrar ser merecedor de seu lugar, e Sutil se aproxima de uma encruzilhada em sua quarta temporada sucessiva: precisa apresentar resultados palpáveis. O carro pareceu consistente nos testes.

TORO ROSSO

Jaime Alguersuari (Espanha), Sebastian Buemi (Suíça)

Em 2010 a equipe conta com motor Ferrari e carro próprio após dividir o desenho com a equipe irmã Red Bull. O êxtase da vitória em Monza em 2008 passou e a Toro Rosso sofreu na última temporada. Nada indica que este ano será muito diferente, embora Alguersuari, que faz 20 anos este mês, pelo menos conheça a maioria dos circuitos agora. Buemi, de 21 anos, é quase um veterano em comparação.

LOTUS F1

Heikki Kovalainen (Finlândia), Jarno Trulli (Itália)

O time com sede na Malásia pode se mostrar o melhor dos novatos, revivendo uma das maiores e mais bem sucedidas franquias do esporte após uma ausência de 16 anos. Porém ainda parece longe de estar pronta: ficou cinco segundos atrás da McLaren em Barcelona. O chefe técnico Mike Gascoyne é um competidor astuto e aguerrido que está no circo da F1 há tempos, e os dois pilotos são ganhadores de corridas com experiência de sobra. Um novo pacote aerodinâmico previsto para maio deve ajudar a diminuir a desvantagem.

VIRGIN RACING

Timo Glock (Alemanha), Lucas di Grassi (Brasil)

A escuderia tem um dos menores orçamentos da categoria e um carro desenvolvido exclusivamente no computador ao invés de em túneis de vento. Os testes da pré-temporada foram problemáticos, especialmente com o sistema hidráulico, e o carro tem ficado mais de cinco segundos atrás dos outros. O chefe de equipe John Booth é bem versado no mundo automobilístico depois de trabalhar com pilotos como Hamilton e Kimi Raikkonen em sua equipe Manor F3. O projetista Nick Wirth promete atualizações constantes e confia que sua estratégia esteja correta. Há muitos descrentes entre seus rivais.

HISPANIA RACING F1 TEAM

Bruno Senna (Brasil), Karun Chandhok (Índia)

A nova equipe, cujo controle foi assumido pelo empresário espanhol Jose Ramón Carabante recentemente e trocou o nome de Campos para Hispania Racing F1 Team, não participou de nenhum teste na pré-temporada por falta de financiamento.

O chefe da equipe será Colin Kolles, ex-Spyker e ex-Force India. Bruno, sobrinho do tricampeão Ayrton, foi vice na série GP2 em 2008, quando competiu ao lado de Karun Chandhok, segundo indiano a participar da F1.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below