ENTREVISTA-Parreira defende Dunga: "Jogar para frente e perder?"

quinta-feira, 11 de março de 2010 10:59 BRT
 

Por Pedro Fonseca

TERESÓPOLIS (Reuters) - Vitorioso em 1994 com um time defensivo e derrotado em 2006 quando apostou no ataque, o ex-técnico da seleção brasileira Carlos Alberto Parreira considera "perfeita" a forma de jogar da equipe comandada por Dunga e acredita que o futebol de resultado é mesmo o melhor caminho para levar o Brasil a mais um título mundial.

Com o próprio Dunga como capitão, o Brasil de Parreira conquistou o tetracampeonato mundial na Copa dos EUA com uma equipe que, apesar do título, ainda hoje é criticada por apresentar um futebol burocrático e que tinha na marcação seu ponto forte. Por outro lado, quando formou o chamado "quadrado mágico" ofensivo com Ronaldinho Gaúcho, Kaká, Ronaldo e Adriano para o Mundial de 2006, o treinador viu seu time ser derrotado nas quartas-de-final pela França.

"Jogar para frente e perder? O Brasil é um time que faz muito gol, toma pouco gol, então está perfeito", afirmou o treinador, de 67 anos, em entrevista à Reuters.

"É um time competitivo, bem fechadinho, bem organizado, sem a bola sabe ocupar os espaços. Hoje as equipes europeias têm dificuldade de entrar no nosso time, tem sempre oito jogadores atrás da linha da bola, e quando a gente ataca sai com muita qualidade", disse o técnico da África do Sul.

Com um sorriso discreto, o técnico não resistiu à comparação: "Uma coisa que eu gosto desse time é ser muito parecido com o de 1994."

Escolhido para substitui Parreira à frente da seleção após a derrota no Mundial da Alemanha, Dunga, ex-volante de marcação firme, implantou em seu time um estilo de jogo semelhante a sua própria forma de atuar nos tempos de jogador. Às vezes atuando até com três homens de contenção no meio-campo, a seleção brasileira passou a jogar mais na defesa e a depender de contra-ataques para marcar gols.

A tática, apesar de contestada por torcedores e críticos que defendem a vocação ofensiva do jogador brasileiro, deu ao Brasil os títulos da Copa América de 2007 e da Copa das Confederações de 2009, e garantiu à equipe vitórias marcantes contra adversários do porte de Argentina, Portugal, Itália e Inglaterra.

"Técnico de futebol deve ser avaliado pelo resultado. O Dunga começou com dificuldades óbvias pela falta de experiência, mas eu estive com o Dunga agora, senti ele calmo, sabendo o que quer. O time está correspondendo no campo e os resultados comprovam isso. Acho que o Brasil chega preparado para a Copa", afirmou.   Continuação...

 
<p>T&eacute;cnico da &Aacute;frica do Sul, Carlos Alberto Parreira, durante treino da equipe na Granja Comary, em Teres&oacute;polis (RJ) 10/03/2010. REUTERS/Sergio Moraes</p>