Beckham passa outro dia no "centro do mundo" após cirurgia

terça-feira, 16 de março de 2010 08:25 BRT
 

Por Brett Young

HELSINQUE (Reuters) - David Beckham vai ficar mais um dia em recuperação após ter passado por uma cirurgia no tendão de Aquiles em Turku, uma pequena cidade portuária na Finlândia que atraiu a atenção da mídia global, disse o médico do jogador inglês à Reuters nesta terça-feira.

A consulta do meio-campista de 24 anos com o especialista Sakari Orava tomou conta da Finlândia, e o tablóide Ilta-Sanomat estampou em sua manchete desta terça-feira: "Turku: o centro do mundo".

"A cirurgia do superastro David Beckham voltou os olhos para a Finlândia", disse o jornal sobre a presença do jogador inglês na região oeste do país nórdico.

Jornais finlandeses desta terça-feira estavam recheados de fotos da chegada de Beckham à clínica de Turku, cidade no litoral oeste localizada a 165 quilômetros da capital Helsinque.

Beckham, que sofreu a lesão na vitória do Milan por 1 x 0 sobre o Chievo, no domingo, foi o paciente perfeito, segundo seu médico.

"Acho que ele prefere ficar mais uma noite aqui. Eu acabei de visitá-lo... e ele disse que se for possível ele queria ficar mais uma noite, então vamos poder verificar o curativo amanhã", disse Orava à Reuters por telefone desde Turku nesta terça-feira.

"O humor dele estava muito bom... ele estava sorrindo e sem dor. Ele estava feliz. Ele é um bom paciente, ele está muito satisfeito contigo, se comporta bem e não reclama", sorriu Orava.

O médico, que já operou atletas de ponta como Haile Gebrselassie, Josep Guardiola e Merlene Ottey nos últimos 25 anos, disse à Reuters na segunda-feira que Beckham provavelmente ficará fora da Copa do Mundo da África do Sul devido à lesão.

Com a previsão de recuperação de 6 a 8 semanas, Beckham provavelmente não estará totalmente em forma para o torneio, que começa em 11 de junho.

 
<p>David Beckham durante chegada a aeroporto em Mil&atilde;o nesta segunda-feira. Com les&atilde;o no tend&atilde;o de Aquiles, Beckham poder&aacute; ficar de fora da Copa do Mundo. REUTERS/Paolo Bona</p>