Roland Garros pode perder o Aberto da França, diz diretor

segunda-feira, 22 de março de 2010 13:27 BRT
 

Por Chrystel Boulet-Euchin

PARIS (Reuters) - O Aberto da França pode deixar de ser realizado em Paris nos próximos anos por problemas de infraestrutura, disse nesta segunda-feira o diretor do torneio do Grand Slam.

Os organizadores consideram há anos como ampliar o complexo de quadras de saibro de Roland Garros, localizado na valorizada zona oeste da capital francesa.

No entanto, os projetos, incluindo a construção de uma quadra coberta para impedir atrasos causados pela chuva, não foram adiante devido à forte oposição, especialmente de ambientalistas.

"Pelos últimos 10 anos, os três outros Grand Slams progrediram, notadamente em termos de infraestrutura, mas nós não conseguimos", disse o diretor do torneio, Gilbert Ysern, a jornalistas, referindo-se ao Aberto da Austrália, Wimbledon e o Aberto dos EUA.

"Roland Garros não pode continuar como está", acrescentou. "Temos duas opções. Uma é ampliar, e a outra e sair daqui."

Como os planos de ampliação enfrentam resistência, os organizadores já estudam quatro possíveis novas localizações nos subúrbios de Paris, todas a ao menos 15 quilômetros da capital.

"Seria dolorido deixar Paris, mas temos que considerar", disse Ysern.

A decisão final sobre o futuro do torneio deve ser tomada numa assembleia geral da Federação Francesa de Tênis em fevereiro de 2011.

O Aberto da França deste ano vai de 24 de maio a 6 de junho.