Para Lula, Kaká é imprescindível mas precisa melhorar para Copa

quarta-feira, 24 de março de 2010 17:26 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O meio-campista Kaká é imprescindível para o sucesso do Brasil na Copa do Mundo, mas está atravessando um dos piores momentos de sua carreira e precisa livrar-se das contusões e voltar a treinar, disse nesta quarta-feira o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que confirmou sua presença na final do Mundial.

Para o presidente, que participará da cerimônia de encerramento do Mundial na África do Sul uma vez que o Brasil será a sede da Copa de 2014, a mudança de Kaká do Milan para o Real Madrid não fez bem ao futebol do camisa 10 da seleção brasileira.

"O Kaká está talvez no momento mais difícil da carreira dele, não só por conta de lesões mas porque o time do Real Madrid é quase que uma exposição de quadros, é uma exposição de artistas, e muitos artistas jogando juntos há muita competitividade", disse Lula a jornalistas após encontro com o casal real da Suécia no Palácio do Itamaraty.

"O Kaká é imprescindível para a seleção brasileira, ele continua sendo um grande jogador de futebol, mas está vivendo um momento delicado. O Kaká precisa voltar a treinar, deixar as contusões e nos defender", acrescentou.

Kaká, que atualmente está com uma lesão no músculo adutor da coxa e tem previsão de volta ao time do Real para a próxima semana, já tinha ficado de fora de outras partidas do time espanhol com uma contusão na região pubiana.

O meia também citou a mudança para a Espanha e o período de adaptação ao futebol espanhol como alguns motivos para sua queda de rendimento.

Lula afirmou que cumprirá uma agenda de visitas oficiais a cinco países africanos, culminando com a África do Sul, onde o presidente assistirá à final da Copa e participará da cerimônia de encerramento como líder do próximo país a receber o Mundial.

"Estou compromissado a ir para a final da Copa do Mundo, até porque vai ter um ato de encerramento da Copa que é passar o bastão para o Brasil. Vou ver essa final certamente esperando que o Brasil esteja na final."

(Reportagem de Fernando Exman)

 
<p>Meia Kak&aacute;, durante o amistoso contra a Inglaterra, em novembro. REUTERS/ Eddie Keogh</p>