Londres alerta Rio: atrasos podem estourar orçamento olímpico

quinta-feira, 25 de março de 2010 18:59 BRT
 

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Londres quer ajudar o Rio de Janeiro a não ter problemas com estouro de orçamento e atrasos nas obras para os Jogos Olímpicos de 2016, disse nesta quinta-feira a ministra britânica para a Olimpíada de 2012, Tessa Jowell.

Em visita à cidade brasileira para formalizar um acordo de cooperação entre as duas próximas sedes das Olimpíadas, Jowell afirmou que a parceria possibilitará que Londres ensine caminhos para o Rio não passar por problemas vividos na Inglaterra, onde as estimativas de custos para os Jogos saltaram de 2,4 bilhões de libras (6,96 bilhões de reais) para 9,3 bilhões de libras (25,01 bilhões de reais).

"O mais importante é sempre estar à frente do relógio", disse a ministra a jornalistas quando questionada quais seriam as dicas de Londres para o Rio.

"Quando você está com o cronograma de obras apertado começam a surgir os problemas com o orçamento. E uma das coisas que causa preocupação das pessoas é se o orçamento está sendo cumprido corretamente ou não, porque no caso da Olimpíada a maior parte do dinheiro é pública, é dos contribuintes."

Em Londres, os gastos previstos inicialmente para a realização dos Jogos subiram quase quatro vezes após uma mudança no projeto para incluir uma ampla regeneração da área leste da cidade, onde ficará o Parque Olímpico.

No caso do Rio, que bateu a concorrência de Madri, Tóquio e Chicago para receber o direito de organizar a primeira Olimpíada da América do Sul, os gastos anunciados pelos organizadores são de 28,8 bilhões de reais, dos quais quase 25 bilhões provenientes dos cofres públicos.

"Você precisa ter um orçamento realista e abrangente que compreenda todos os gastos com obras de infraestrutura e as instalações esportivas", disse a ministra, que liderou uma delegação de empresários britânicos que vieram tratar de negócios relacionados à Copa do Mundo de 2014 e aos Jogos de 2016.

Segundo a ministra, a realização da Olimpíada pode levar 1,5 bilhão de libras (4,03 bilhões de reais) a Londres, e servirá como um importante impulso para levantar a economia britânica após as dificuldades enfrentadas com a crise financeira global.

"O legado mais importante da Olimpíada em Londres é a regeneração de East London, uma das áreas mais pobres da cidade, onde o transporte é pior, o desemprego é maior... Estamos usando os Jogos Olímpicos para recuperar nossa economia e transformar as vidas de milhares de pessoas que vivem numa região mais pobre."

 
<p>Ministra brit&acirc;nica dos Jogos Ol&iacute;mpicos, Tessa Jowell, e o ministro do Esporte do Brasil, Orlando Silva, no Rio de Janeiro. 25/03/2010 REUTERS/Bruno Domingos (</p>