29 de Março de 2010 / às 21:02 / 7 anos atrás

Esqueçam Beckham, goleiros são maior problema da Inglaterra

Por Mitch Phillips

LONDRES (Reuters) - A apenas dois meses de convocar seus 23 jogadores para a África do Sul, o técnico da Inglaterra, Fabio Capello, ainda não conseguiu descobrir a solução para um problema persistente desde que assumiu o cargo: encontrar um goleiro de confiança.

Quando David Beckham foi descartado para o Mundial deste ano ao sofrer uma lesão no tendão de Aquiles este mês, a menos Capello tinha uma série de talentos para ocupar a vaga do experiente meio-campista.

Mas o italiano não encontra as mesmas opções quando se trata de goleiros. A lista com as três prováveis escolhas do treinador incluem um veterano de 39 anos famoso por suas falhas, um goleiro que é o segundo reserva de seu time e outro que joga numa equipe da segunda divisão.

Os torcedores ingleses costumavam rir dos goleiros estrangeiros que não conseguiam fazer defesas apesar de seus mergulhos teatrais, enquanto Gordon Banks afastava qualquer ameaça com o mínimo esforço.

No entanto, agora a maioria dos times da Premier League tem goleiros do exterior e as oportunidades para jogadores ingleses mais jovens da posição são cada vez mais raras. Como resultado, a seleção inglesa já pagou caro em grandes torneios por falhas de seus arqueiros, incluindo o veterano David Seaman na Copa do Mundo de 2002.

David James, do Portsmouth, estará a poucas semanas de completar 40 anos na Copa do Mundo, mas, tamanha é a falta de opções, que ele deve chegar à África do Sul como titular.

James, que tem o apelido de "calamidade", cometeu uma falha incrível na semana passada, ao furar um chute para frente que deixou Didier Drogba livre para marcar na goleada de 5 x 0 do Chelsea sobre o Portsmouth.

Paul Robinson, goleiro da Inglaterra na Copa de 2006, parece nunca ter se recuperado totalmente de seu furo ao tentar chutar uma bola para frente contra a Croácia na Euro 2008. Apesar de ter recebido outras chances, ele voltou a falhar num jogo contra a Rússia.

Em boa forma pelo Blackburn Rovers nesta temporada, seu nome volta a ser cogitado, mas existe um ar de desconfiança com sua presença.

Scott Carson também será lembrado para sempre por uma falha contra a Croácia, quando ele deixou entrar um chute de longe de Niko Kranjcar. Boas atuações nesta temporada pelo West Bromwich Albion, da 2a divisão, devem garantir uma vaga ao menos como 3o goleiro.

Ben Foster era uma promessa há alguns anos, mas agora, como segundo reserva do Manchester United, seria arriscado demais dar uma chance a ele no Mundial.

Joe Hart, de 22 anos, ganhou força na reta final com boas atuações no Birmingham City e, se continuar em forma até a Copa, tem grandes chances de conseguir uma vaga.

Se chegar à África, não seria necessariamente uma calamidade se as esperanças da Inglaterra estivessem em suas mãos.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below