Perda de pênalti põe pressão sobre Adriano antes de convocação

segunda-feira, 19 de abril de 2010 13:44 BRT
 

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O pênalti perdido por Adriano contra o Botafogo na final da Taça Rio pode custar mais caro que somente a perda do campeonato estadual, num momento em que o atacante se esforça para provar que merece estar na lista no técnico Dunga para a Copa do Mundo.

A 22 dias da convocação do Brasil para o Mundial, Adriano pode ter apenas mais dois jogos a disputar e provar que está em forma para defender a seleção, após um começo de temporada marcado por problemas dentro e fora de campo.

O jogador de 28 anos, que fechou 2009 em alta como artilheiro e campeão brasileiro pelo Flamengo, jogou apenas 12 dos 23 jogos do time carioca no ano e deixou a desejar nos momentos mais importantes.

A partida desta quarta-feira no Maracanã contra o Caracas pela Copa Libertadores vai selar o futuro da equipe no primeiro semestre. O time precisa de uma vitória para avançar à segunda fase e, se não conseguir, o outro único jogo antes da convocação será na estreia do Campeonato Brasileiro, contra o São Paulo, em 9 de maio.

"Nunca perdi um pênalti e isso foi acontecer logo agora", lamentou Adriano a repórteres após a partida de domingo com o Botafogo. Se o Flamengo tivesse vencido a Taça Rio, a equipe enfrentaria o Botafogo nos dois próximos domingos na decisão do Carioca, dando ao atacante novas chances de mostrar seu desempenho.

Adriano voltou ao Flamengo no ano passado após ter ameaçado encerrar a carreira por problemas pessoais na Itália, onde defendia a Inter de Milão. A artilharia e o título brasileiro renderam a ele a vaga de titular no único amistoso do Brasil este ano -- vitória por 2 x sobre a Irlanda em março --, mas ele não correspondeu em campo e ainda teve seu nome envolvido em polêmicas fora das quatro linhas devido ao conturbado namoro com uma modelo.

Nas últimas semanas, uma prolongada lesão nas costas manteve Adriano fora de quatro jogos, incluindo o empate em casa com a Universidad de Chile e a derrota para a Universidad Católica que colocaram em risco a classificação da equipe na Libertadores. Para este último jogo, os médicos disseram que Adriano estava curado, mas o atacante preferiu permanecer no Rio aprimorando a forma física.

"O Adriano tem sorte porque atualmente não existe outro atacante com as mesmas características para disputar uma vaga com ele na seleção", disse à Reuters o comentarista e ex-jogador Júnior, titular do Brasil nas Copas de 1982 e 1986.   Continuação...

 
<p>Adriano ap&oacute;s um jogo do Flamengo na Copa Libertadores no Chile. 17/03/2010 REUTERS/Ivan Alvarado</p>