19 de Abril de 2010 / às 20:49 / 7 anos atrás

Opção de Amauri é arriscada para técnico da Itália

Por Paul Virgo

ROMA (Reuters) - Marcello Lippi disse que vai considerar convocar Amauri para a seleção italiana, depois que o atacante nascido no Brasil conseguiu a dupla cidadania na semana passada, mas o treinador pode correr um grande risco com essa aposta.

O jogador de 29 anos pode jogar pela Itália já que nunca defendeu a seleção brasileira. Na única vez em que foi convocado pelo técnico Dunga, a Juventus recusou-se a liberar o atacante, argumentando que o chamado aconteceu fora do prazo.

Lippi negou que tenha tido qualquer participação nesse incidente, mas elogiou o comprometimento de Amauri com as cores da Itália.

"Foi uma boa ideia do (ex-técnico da Itália Roberto) Donadoni pedir a Amauri que tivesse a cidadania italiana, e quando eu voltei para a seleção disse que estava do lado dele porque é um jogador importante", disse Lippi a repórteres.

"A escolha que Amauri fez não é fácil. Ele realmente quis se tornar um cidadão italiano, você podia ver isso na emoção que ele demonstrou durante a cerimônia de juramento."

O simples fato de Amauri ser considerado é significante, já que Lippi descartou convocar outros jogadores naturalizados que gostariam de jogar pela Itália, como o também brasileiro Thiago Motta, da Inter de Milão.

A favor de Amauri, ele é um jogador completo, com bom porte físico e técnica, quando está em forma. O principal problema é que ele marcou apenas cinco gols pela Juve na temporada até o momento.

Seus principais concorrentes por uma vaga entre os quatro ou cinco atacantes da Itália, como Marco Borriello, do Milan, Giampaolo Pazzini, da Sampdoria, e Fabio Quagliarella, do Napoli, tiveram desempenhos melhores.

Então, a menos que haja uma mudança drástica nas quatro últimas rodadas do Italiano, a convocação de Amauri representaria chamar um jogador fora de forma, com idade avançada, e sem experiência com a camisa da seleção.

Para aumentar os riscos, a entrada no grupo de um jogador estrangeiro, que ao contrário do meia argentino naturalizado Mauro Camoranese, não tem qualquer passado na Itália, pode prejudicar a harmonia do grupo.

"Seria um pouco estranho e difícil de compreender", disse o meia da seleção italiana Stefano Fiore à Reuters. "Acho que você deve convocar os jogadores que são a melhor expressão do campeonato. Amauri é um ótimo jogador, mas este ano ele não está no seu melhor. A Itália tem ótimos atacantes, você pode escolher de olhos fechados jogadores como Borriello e Pazzini."

A Itália está no Grupo F do Mundial, ao lado de Paraguai, Nova Zelândia e Eslováquia. A Copa começa em 11 de junho.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below