Com outra camisa, brasileiros querem enfrentar a seleção na Copa

quarta-feira, 28 de abril de 2010 14:33 BRT
 

Por Tatiana Ramil

SÃO PAULO (Reuters) - Eles nasceram no Brasil mas na Copa do Mundo estarão do outro lado do campo. Deco, Liédson e Marcos Senna lideram a lista de jogadores naturalizados que terão o desafio de enfrentar o país natal na África do Sul, num embate muito aguardado e comemorado.

"Vai ser espetacular", disse o atacante Liédson sobre a partida entre Brasil e Portugal, no dia 25 de junho, pelo Grupo G do Mundial.

"Nasci no Brasil e realmente amo meu país, mas vou dar tudo para ajudar Portugal a vencer. Este jogo é como uma final", acrescentou ele em entrevista ao site da Fifa.

Além de Liédson, que estreou pela seleção portuguesa em 2009, o meia Deco e o zagueiro Pepe são os outros brasileiros na equipe europeia adversária do Brasil na primeira fase.

Nas oitavas-de-final, há a possibilidade de a seleção comandada por Dunga encarar a campeã europeia Espanha, cujo meio-campo é formado por Marcos Senna.

"Sinceramente eu adoraria jogar contra o Brasil, não por rancor ou alguma mágoa. Pelo contrário. Eu tenho muito orgulho do Brasil, só que eu defendo a seleção espanhola", afirmou Senna em entrevista à Reuters.

"Eu vou sentir emoção, claro que sim, mas não vou estranhar. Futebol geralmente é assim: depois que a bola rola, você esquece tudo isso."

O ex-jogador de Corinthians e São Caetano iniciou o processo de naturalização em 2005 a convite do ex-treinador da Espanha Luis Aragonés. Senna admitiu que seu sonho era jogar pelo Brasil, mas à época Carlos Alberto Parreira tinha o grupo praticamente formado para a Copa do Mundo da Alemanha.   Continuação...

 
<p>Brasileiros naturalizados portugueses Deco e Liedson durante treino da sele&ccedil;&atilde;o de Portugal em novemebro de 2009. REUTERS/Jos&eacute; Manuel Ribeiro</p>