Londres quer separar Olimpíada das eleições

quinta-feira, 29 de abril de 2010 09:50 BRT
 

Por Karolos Grohmann

DUBAI (Reuters) - Os preparativos para a Olimpíada de 2012 em Londres não estão sendo afetados pela acirrada campanha eleitoral britânica, e os organizadores estão confiantes em manter boas relações com qualquer dos partidos que vença o pleito do dia 6.

"Os Jogos Olímpicos não caíram na boca de um único político durante esta campanha", disse o chefe do comitê organizador do evento, Sebastian Coe, a um pequeno grupo de repórteres. "Não houve um futebol político".

A Olimpíada foi destinada a Londres durante o governo do Partido Trabalhista, no poder desde 1997, mas as pesquisas apontam liderança da oposição conservadora, o que abre a perspectiva de uma mudança de comando no país a pouco mais de dois anos do evento.

Coe disse, no entanto, que os preparativos continuam normalmente, já que não há um só dia a perder. "Não há certeza do resultado, mas continuaremos cumprindo (os deveres) sem pausa, com qualquer cenário político", disse Coe após apresentar um relatório atualizado das atividades ao Comitê Olímpico Internacional (COI).

Ex-campeão olímpico, ex-deputado conservador, Coe disse que a Olimpíada conseguiu ficar a salvo da política graças ao trabalho dos organizadores em obterem um apoio pluripartidário.

Em outros países e em outras edições dos Jogos, sempre foi comum que os organizadores tivessem de lidar com mudanças políticas durante os sete anos de preparativos. Coe disse que nem a mudança no Ministério Olímpico afetará Londres-2012.

"São decisões políticas, mas o nosso foco é cumprir as tarefas e deixar que todos os partidos políticos saibam qual é o progresso", disse ele, lembrando que o vencedor da eleição terá de enfrentar "a mais sombria perspectiva de corte de gastos públicos em uma geração."

"Não pode haver tempo a perder (com o novo governo). Não adaptamos nem preparamos nada sob medida. Eles (partidos) estão todos focados na necessidade de um prazo fixo."   Continuação...