Nadal avança em Madri de olho em Roland Garros; Bellucci cai

quarta-feira, 12 de maio de 2010 17:46 BRT
 

Por Iain Rogers

MADRI (Reuters) - Rafael Nadal mostrou mais uma vez que está de volta ao auge de sua forma no saibro na reta final de preparação para o Aberto da França, enquanto Robin Soderling, seu algoz em Roland Garros no ano passado, foi eliminado nesta quarta-feira do Masters de Madri.

Nadal, tenista número três do mundo, parece caminhar para seu terceiro título de Masters da temporada após ter derrotado o qualifier ucraniano Oleksandr Dolgopolov por 6-4 e 6-3 pela segunda rodada, com presença de Cristiano Ronaldo e Zinedine Zidane nas arquibancadas.

O caminho dele até a final ainda foi facilitado pela derrota de Soderling, que seria seu eventual adversário numa semifinal mas foi derrotado por Nicolas Almagro por 6-4 e 7-5. O sueco Soderling eliminou Nadal de Roland Garros no ano passado, quando o espanhol buscava seu quinto título consecutivo.

Nadal, de 23 anos, agora enfrentará o norte-americano John Isner nas oitavas-de-final.

O brasileiro Thomaz Bellucci, que entrou na competição como 16o cabeça-de-chave, foi derrotado pelo argentino Juan Monaco por duplo 6-2 também na segunda rodada.

Quem também teve a preparação para Roland Garros prejudicada foi o norte-americano Andy Roddick, que foi forçado a desistir de Madri por uma virose.

O terceiro pré-classificado Andy Murray, que teve uma queda de rendimento após ter sido vice-campeão do Aberto da Austrália em janeiro, derrotou o argentino Juan Ignacio Chela por 6-3 e 6-3, e vai enfrentar agora Victor Hanescu.

Jo-Wilfried Tsonga, francês sétimo cabeça-de-chave, desistiu do jogo contra Guillermo Garcia-López após receber tratamento na quadra para uma lesão nas costas.

O número 1 do mundo Roger Federer, que venceu Nadal na final de Madri há um ano antes de conquistar o título de Roland Garros, vai enfrentar o compatriota suíço Stanislas Wawrinka na quinta-feira.

 
<p>Espanhol Rafael Nadal comemora ponto em jogo do Masters de Madri, no qual derrotou o ucraniano Oleksandr Dolgopolov. REUTERS/Susana Vera</p>