Financiamento de Londres 2012 não está protegido de cortes

quinta-feira, 13 de maio de 2010 15:04 BRT
 

LONDRES (Reuters) - O financiamento para a Olimpíada de Londres em 2012 não está protegido dos cortes de gastos necessários para colocar sob controle o déficit público recorde da Grã-Bretanha, disse o ministro da Cultura e dos Esportes, Jeremy Hunt.

Uma das primeiras tarefas do novo governo de coalizão do primeiro-ministro David Cameron será identificar grandes economias no orçamento, enquanto são tomadas medidas para combater o déficit que está em mais de 11 por cento do Produto Interno Bruto (PIB).

"O dinheiro olímpico não está protegido", disse Hunt à BBC, ao ser questionado sobre quais cortes seriam feitos por seu departamento.

"Nenhum dos orçamentos do Departamento de Cultura, Mídia e Esportes está protegido e estamos olhando a todos eles e dizendo: 'será que podemos poupar esse dinheiro sem afetar nossos serviços básicos?"

Hunt disse que, se os cortes planejados se espalhassem de forma uniforme por todos os departamentos do governo, o seu departamento precisaria poupar cerca de 66 milhões de libras (97,5 milhões de dólares).

O governo planeja um corte inicial de 6 bilhões de libras este ano.

"Isso é algo com que todos os departamentos do governo têm de se responsabilizar", disse.

A construção do Parque Olímpico está dentro do cronograma e do orçamento de 9,3 bilhões de libras.

No entanto, em março um comitê parlamentar advertiu que os Jogos de Londres enfrentavam uma situação financeira "apertada", com apenas 194 milhões de libras disponíveis para cobrir novos riscos nos preparativos para 2012.

O prefeito de Londres, Boris Johnson, disse à BBC que, embora o orçamento não estivesse protegido, a Autoridade Pública Olímpica já havia feito economias consideráveis e esperava fazer mais até o momento que o projeto fosse concluído.

(Reportagem de Kylie MacLellan)