15 de Maio de 2010 / às 14:53 / 7 anos atrás

Bielsa, Capello dominam a lista de treinadores "estrangeiros"

SANTIAGO (Reuters) - Os argentinos Marcelo Bielsa e Gerardo Martino, o colombiano Reinaldo Rueda e o italiano Fabio Capello integram o grupo de 12 técnicos "estrangeiros" que vão dirigir uma seleção classificada para a Copa do Mundo da África do Sul, a segunda mais alta em quantidade de estrangeiros na história.

O número só é superado pelas 14 seleções que tiveram técnicos que não haviam nascido no país na Copa da Alemanha de 2006, segundo dados da FIFA.

Desta vez, a Argentina terá a maior quantidade de treinadores no mundial, com Diego Maradona, Martino e Bielsa. Os outros técnicos estrangeiros para o próximo mundial serão os alemães Ottmar Hitzfeld (Suíça) e Otto Rehhagel (Grécia), Capello (Inglaterra), o holandês Pim Verbeek (Austrália), o brasileiro Carlos Parreira (África do Sul), o francês Paul Le Guen (Camarões), os suecos Sven-Goran Eriksson (Costa do Marfim) e Lars Lagerback (Nigéria) e o sérvio Milovan Rajevac (Ghana).

A Argentina sempre se destacou por ter treinadores no comando de outras seleções. O primeiro foi José Durand Laguna, que em 1930 dirigiu o Paraguai. Depois se destacaram Adolfo Pedernera (Colômbia, 1962), Helenio Herrera (Espanha, 1962), Jorge Solari (Arábia Saudita, 1994) e Ricardo La Volpe (México, 2006), conforme dados da FIFA.

Agora é a vez de Bielsa, que colocou o Chile em seu primeiro Mundial desde 1998 realizando uma campanha sem precedentes na eliminatória sul-americana.

"A grande virtude e mérito da classificação para a Copa do Mundo é somente dele . Nós, os jogadores, sabemos que apenas nós jogamos, mas foi revolucionário. Quando ele chegou ao Chile mudou muitas coisas, fez um trabalho que nunca tínhamos feito e, graças a Deus, funcionou," disse o meio-campista Mauricio Isla em entrevista recente para a Reuters.

Bielsa quer superar o mau resultado do Mundial de 2002, quando chegou com uma seleção argentina favorita que acabou eliminada na primeira rodada.

Em todos os mundiais houve algum técnico dirigindo seleções que não eram as de seu país-natal. Na Argentina, em 1978, o único foi o austríaco Ernst Happel, que levou a Holanda até a final e acabou perdendo para os donos da casa.

ROTINA PARA O PARAGUAI

O Paraguai chega ao seu quarto Mundial consecutivo comandado por um treinador estrangeiro. Na França, em 1998, teve o brasileiro Paulo César Carpegiani. O italiano Césare Maldini dirigiu a equipe na Copa da Coréia do Sul e Japão em 2002, enquanto o uruguaio Aníbal Ruiz foi o técnico na Alemanha, 2006.

Agora, "Tata" Martino tenta garantir que o Paraguai consiga passar às quartas de final pela primeira vez na sua história.

"Nestes jogos eliminatórios tivemos um técnico que joga diferente, que nos deu força para fazer o que sabemos fazer, jogar pressionando o adversário e correndo muito, mas jogando com a posse de bola," disse o goleiro Justo Villar em entrevista recente para a Reuters.

Já o colombiano Rueda chega a sua primeira Copa do Mundo comandando Honduras, que volta à competição após estrear na Espanha em 1982. Rueda, de 42 anos, armou uma equipe que cuida bem da bola e conseguiu a última vaga para o Mundial na eliminatória da CONCACAF.

"Ele é como um pai para nós, dá muitos conselhos. Ele apontou o caminho correto para nós. Foi fundamental a chegada dele para o nosso país", disse em uma entrevista à Reuters o atacante hondurenho Carlos Pavón. "Ele é uma pessoa direta e honesta e os resultados do seu trabalho apareceram no campo."

Há quatro seleções que têm uma característica em comum: em todas as suas participações na Copa do Mundo foram treinadas por estrangeiros. Esse é o caso dos Camarões (1982, 1990, 1994, 1998, 2002 e 2010), Costa do Marfim (2006 e 2010), Austrália (1974, 2006 e 2010) e Ghana (2006 e 2010).

Este Mundial também vai contar com dois treinadores de grande experiência: Parreira e o sérvio Bora Milutinovic. Parreira foi campeão do mundo em 1994 com o Brasil, dirigindo a seleção também em 2006, o Kuwait em 1982, os Emirados Árabes em 1990 e a Arábia Saudita em 1998. Já Milutinovic será o ajudante de Radomir Antic na seleção da Sérvia, mas participou como treinador em vários Mundiais como o treinador do México (1986), da Costa Rica (1990), do Estados Unidos (1994), da Nigéria (1998) e da China (2002).

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below