16 de Maio de 2010 / às 14:42 / em 7 anos

Webber vence em Mônaco e lidera F1; Massa chega em quarto

<p>O piloto australiano Mark Webber venceu o GP de M&ocirc;naco pela Red Bull neste domingo. 16/05/2010 REUTERS/Robert Pratta</p>

Por Alan Baldwin

MÔNACO (Reuters) - Mark Webber venceu o GP de Mônaco, neste domingo, com dobradinha da Red Bull, resultado que colocou o australiano na primeira colocação da temporada de Fórmula 1.

Primeiro australiano a vencer a prova do principado desde o tricampeão mundial Jack Brabham em 1959, Webber liderou de ponta a ponta, largando na pole position para terminar em primeiro, sua segunda vitória consecutiva e a quarta de sua carreira.

“Absolutamente incrível, com certeza, este é o melhor dia da minha vida”, disse Webber aos repórteres.

O último australiano a liderar o campeonato de F1 foi Alan Jones, em 1981.

Em uma corrida pontuada por acidentes e entradas do safety car, incluindo nas últimas três voltas, o alemão Sebastian Vettel ficou em segundo lugar e garantiu a segunda dobradinha da Red Bull em seis corridas. O polonês Robert Kubica, da Renault, completou o pódio em terceiro.

Vettel cruzou a linha de chegada apenas 0,4 segundo atrás de um triunfante Webber, com todos os carros em fila atrás do safety car na última curva, enquanto os mecânicos da Red Bull se debruçaram no muro para vibrar com seus pilotos.

Atual campeão do mundo, Jenson Button, que venceu em Mônaco no ano passado e liderava o campeonato antes da corrida deste domingo, abandonou a prova na terceira volta após fumaça sair do motor da sua McLaren.

Webber assumiu a liderança com 78 pontos, mesmo número de Vettel, que tem apenas uma vitória este ano, com Fernando Alonso, da Ferrari, surgindo em terceiro com 73 depois de fazer uma corrida de recuperação em que largou do box e chegou em sétimo lugar.

Button, que também venceu duas corridas nesta temporada, caiu para a quarta colocação, com 70 pontos.

“Nós deixamos uma proteção no lado esquerdo do carro que, obviamente, deveria ter sido retirada no caminho para o grid. Isto ‘cozinhou’ o motor”, disse o britânico à BBC TV.

“Ficou muito quente e eu tive de desligar o motor. Não queria deixar óleo pelo circuito. Teria sido bom se não tivéssemos o safety car. Isso foi o fim”, explicou o piloto de 30 anos.

EMOÇÕES DE ALONSO

Felipe Massa, da Ferrari, terminou em quarto com o britânico Lewis Hamilton, da McLaren, em quinto após questionar o aviso da equipe para poupar os freios.

“Estamos apenas na metade da corrida. Que diabos? Vocês querem que eu compita com esses caras ou cuide do carro?”, perguntou irritado o vencedor do GP de Mônaco em 2008 ao time pelo rádio.

Enquanto Webber seguiu livremente na ponta e nunca pareceu enfrentar um problema, Alonso ofereceu muita emoção para quem acompanhava a prova, pulando da última colocação na primeira curva para o sétimo lugar ao final da corrida.

O espanhol, que venceu duas vezes em Mônaco, uma com a Renault e a outra com a McLaren, largou do box depois de ter batido seu carro no último treino livre de sábado.

Ele parou no box ao final da primeira volta para trocar os pneus com o safety car conduzindo os outros carros enquanto os fiscais limpavam os detritos deixados na pista após o acidente de Nico Hulkenberg, da Williams, no túnel.

Alonso então começou a ultrapassar os carros mais lentos na saída do túnel e subiu algumas posições quando seus rivais fizeram seus pitstops. Ele, no entanto, perdeu a sexta colocação para o heptacampeão Michael Schumacher na última curva.

O incidente está sendo investigado pelos fiscais, sendo que um deles é um velho rival de Schumacher e ex-campeão do mundo Damon Hill.

O safety car entrou novamente na pista depois da volta 31, quando o brasileiro Rubens Barrichello girou e ficou parado no sentido contrário do circuito na subida do cassino e 12 voltas depois quando um tampo de bueiro se soltou.

Barrichello, visivelmente infeliz, jogou seu volante longe do cockpit de sua Williams e um outro carro passou por cima dele.

Schumacher, que pode ter sonhado em conseguir igualar o recorde de seis vitórias em Mônaco em seu retorno à categoria com a Mercedes e com 41 anos, novamente bateu seu companheiro de equipe, Nico Rosberg, que terminou em oitavo.

O alemão Adrian Sutil, da Force India, terminou em nono com o seu colega de time, o italiano Vitantonio Liuzzi, conquistando o último ponto.

Somente 12 dos 24 carros terminaram a prova, com o safety car mais uma vez entrando na pista na 75 volta das 78, quando o italiano Jarno Trulli e o indiano Karun Chandhok colidiram na curva apertada e lenta curva Rascasse.

Trulli, da Lotus, tentou ultrapassar o piloto da Hispania pela parte de dentro da curva e acabou passando com seu carro literalmente por cima do de seu adversário.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below