May 17, 2010 / 9:59 PM / 7 years ago

Governo vai desonerar obras dos estádios para Copa-2014

4 Min, DE LEITURA

<p>Maracan&atilde; &eacute; um dos est&aacute;dios que ser&atilde;o reformados para sediar a Copa do Mundo 2014.Bruno Domingos</p>

SÃO PAULO (Reuters) - O governo informou nesta segunda-feira que concederá benefícios fiscais para a construção e reforma dos estádios que vão receber partidas da Copa do Mundo de 2014.

O Ministério da Fazenda disse em nota que "vai desonerar os estádios-sede do campeonato mundial do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), PIS/Confins e Imposto de Importação".

Além disso, as 12 cidades que sediarão os jogos poderão conceder isenção de ICMS nas operações com mercadorias e bens destinados à construção ou reforma dos estádios.

"Condicionada à concessão cumulativa de benefício de Imposto de Importação, IPI e PIS/Cofins, a isenção de ICMS na importação só se dará se o bem não possuir similar nacional", informou a nota, acrescentando que a decisão será viabilizada por lei ou medida provisória.

A Fifa, entidade que controla o futebol mundial, manifestou este mês preocupação com o andamento das obras para o torneio. Jerome Valcke, secretário-geral da Fifa, chegou a dizer que o Brasil "não está no caminho certo" e que "o sinal vermelho está aceso para o Brasil".

O Ministério do Esporte retrucou dizendo que "o tema das arenas é um tema local, das cidades" e que a resposta que deveria ser dada à Fifa era mais trabalho.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) termina esta semana uma vistoria pelas 12 sedes para verificar em loco o andamento dos preparativos em Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

EMPRÉSTIMO DO BNDES

Segundo o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), apenas quatro projetos de estádios para a Copa apresentaram pedidos de financiamento para reformas ou construção.

O diretor do banco, Elvio Gaspar, disse que o BNDES analisa os projetos de Salvador, Manaus, Fortaleza e Cuiabá.

"Esses projetos já entraram aqui no BNDES e já estão andando e caminhando bem", disse Gaspar à Reuters, acrescentando que essas cidades já lançaram edital de licitação.

O programa de financiamento de estádios prevê que o BNDES pode emprestar até 400 milhões de reais ou até 75 por cento do projeto, e qualquer projeto tem que passar por várias fases de análises, entre elas consulta, enquadramento, aprovação e desembolso.

O BNDES, por questões legais ou de exigências do Tribunal Eleitoral, só pode liberar recursos até setembro deste ano.

"A gente pode fazer o contrato com o Estado até 2 de setembro. Mas parte do trabalho inicial se deve a demolições e coisas menores. O que a gente não conseguir liberar antes do prazo legal, não tem problema porque trabalhamos com uma estimativa de prazo de obra de um ano e meio, dois anos", disse Gaspar.

O executivo afirmou que apesar da aparente demora, o banco está tranquilo quanto à realização das obras dentro do prazo.

"Morumbi e Maracanã ainda não apresentaram seus projetos mas já conversamos com o Morumbi. O Ricardo Teixeira (presidente da CBF) já disse que vai ter jogo lá. O que estão tentando agora é uma equação financeira e nós estamos à disposição", declarou. "Estou bem otimista".

Por Tatiana Ramil e Rodrigo Viga

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below