23 de Maio de 2010 / às 15:37 / 7 anos atrás

Inter comemora título europeu em clima fraternal

<p>Capit&atilde;o do Inter de Mil&atilde;o Javier Zanetti (esq) com o trof&eacute;u da Liga dos Campe&otilde;es e seu colega Diego Melito no est&aacute;dio de San Siro em Mil&atilde;o. A vit&oacute;ria de 2 x 0 da Inter de Mil&atilde;o sobre o Bayern de Munique na final da Liga dos Campe&otilde;es no s&aacute;bado ser&aacute; lembrada mais pelos dois gols brilhantes de Diego Milito e as tramas e intrigas dos bastidores do que pelo futebol em si. 23/05/2010Paolo Bona</p>

Por Mike Collett

MADRI (Reuters) - A vitória de 2 x 0 da Inter de Milão sobre o Bayern de Munique na final da Liga dos Campeões no sábado será lembrada mais pelos dois gols brilhantes de Diego Milito e as tramas e intrigas dos bastidores do que pelo futebol em si.

A ideia de Michel Platini, presidente da Uefa, de mudar a final da noite de quarta-feira para um sábado rendeu mais dramaticidade ao evento do que o normal, ainda mais ao ser realizada no imponente estádio Santiago Bernabeu, do Real Madrid. O incentivo barulhento e entusiasmado das duas torcidas criou uma atmosfera inesquecível.

Um momento de respeito mútuo aconteceu quando Milito, acenando para a multidão, de repente se deu conta de que cumprimentava os torcedores do Bayern. Ao invés de vaiá-lo, os alemães o aplaudiram calorosamente.

O brasileiro Lucio, zagueiro da Inter que atuou no Bayern, passou a maior parte das comemorações pós-jogo conversando com seus ex-companheiros de equipe depois de chorar de alegria.

José Mourinho, técnico da Inter, abraçou Arjen Robben, lateral do Bayern - ambos estiveram no Chelsea durante três anos - durante um breve intervalo no primeiro tempo da partida.

Mourinho e Louis Van Gaal, técnico do Bayern, cuja amizade remete aos dias que compartilharam no Barcelona, até mesmo se abraçaram antes do final do jogo, quando a vitória da Inter já era quase certa.

Houve momentos em que parecia se tratar mais de um encontro afetivo do que uma final do tipo 'tudo ou nada', e mal foram vistas entradas maldosas ou palavras ásperas, superando as expectativas para a disputa.

Embora não tenha sido um clássico, foi cativante. Mourinho disse que seus homens "seguiram minhas instruções perfeitamente" e terminaram vencendo de maneira convincente.

TERCEIRA VEZ

A Inter se tornou a campeã europeia pela terceira vez após uma espera de 45 anos desde seu segundo título em 1965, e Mourinho se tornou o terceiro treinador a se sagrar campeão europeu com dois clubes diferentes após seu êxito com o Porto em 2004.

A Inter por sua vez se tornou o primeiro time italiano a conquistar três troféus após vencer o campeonato italiano e a Copa da Itália no início do mês, e o próprio Milito alcançou uma estatura que mal poderia ter imaginado quando se uniu à Inter no começo da temporada.

Os dois gols que marcou para derrotar o Bayern coroaram uma fase impressionante de sucesso, que inclui o gol que concedeu a vitória a seu time sobre o Roma e o título da Copa da Itália no dia 5 de maio e o gol do domingo passado sobre o Siena que garantiu o troféu do campeonato italiano.

O argentino de 30 anos agora segue para a África do Sul para sua primeira Copa do Mundo, enquanto Mourinho parece prestes a deixar Milão.

Ausente da festa da Inter na Itália, ele deve assumir como novo técnico do Real Madrid.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below