Juan exalta defesa mas quer atacante como melhor da Copa

segunda-feira, 24 de maio de 2010 14:37 BRT
 

Por Pedro Fonseca

CURITIBA (Reuters) - Considerada o ponto forte do Brasil mesmo na derrota de 2006, a defesa da seleção está preparada "para o que der e vier" na Copa do Mundo da África do Sul, mas o zagueiro Juan espera que dessa vez os jogadores de ataque recebam os elogios.

A caminho de seu segundo Mundial como parceiro do capitão Lúcio na zaga brasileira, o jogador da Roma apontou a eficiência da defesa como fundamental para as conquistas do Brasil nos últimos anos e destacou a atuação não apenas dos zagueiros nesse esquema.

"O trabalho que a gente fez nesses últimos três anos e meio ressaltou muito a importância do sistema defensivo", disse Juan a jornalistas no centro de treinamento do Atlético-PR, nesta segunda-feira, quarto dia da preparação brasileira para a Copa do Mundo.

"Quero ressaltar o trabalho de todo mundo, principalmente dos atacantes. A gente sempre pediu para os atacantes também ajudarem na marcação, e no meu modo de pensar o time todo ajuda", acrescentou o jogador da Roma.

O sucesso da defesa brasileira foi destacado pela excelente temporada do time italiano Inter de Milão, que conquistou o Campeonato Italiano, a Copa da Itália e a Liga dos Campeões tendo o goleiro Julio César, o lateral-direito Maicon e o zagueiro Lúcio como titulares.

Zagueiro pelo lado esquerdo, Juan garantiu que também não há o que se preocupar com a lateral-esquerda brasileira, posição em que vários jogadores foram testados pelo técnico Dunga até a convocação do veterano Gilberto e de Michel Bastos para a Copa.

"A lateral-esquerda mudou um pouco, mas quem entrar ali já vai encontrar o sistema defensivo formado, junto com o Gilberto Silva, que também estava no último Mundial", disse o zagueiro.

"Tanto o Michel como o Gilberto têm condições de jogar. O Gilberto conhece mais o grupo, mas o Michel entrou super bem na equipe", acrescentou. Michel Bastos, do Olympique Lyon, ganhou a vaga na Copa após apenas três partidas como titular da seleção, enquanto Gilberto, do Cruzeiro, foi titular no início da era Dunga e retornou à seleção na reta final antes da Copa da África do Sul.   Continuação...