SAIBA MAIS- Greves e protestos ameaçam a Copa na África do Sul?

terça-feira, 25 de maio de 2010 10:47 BRT
 

Por Marius Bosch

JOHANESBURGO (Reuters) - Trabalhadores do setor de transportes sul-africano, em greve pela terceira semana, pediram que os empregados da South African Airways e de outras empresas demonstrem sua solidariedade parando também, a menos de três semanas do começo da Copa do Mundo no país.

A greve no grupo Transnet (ferrovias e logística) afeta as exportações de metais, carros, vinhos e frutas para Ásia e Europa. O governo diz que os produtores rurais já tiveram prejuízos de 127 milhões de dólares, e que há riscos para empregos agrícolas.

A Fifa disse que as importações de alguns equipamentos a serem usados na Copa também foram prejudicadas.

Veja a seguir algumas questões que a greve desperta.

HAVERÁ OUTRAS PARALISAÇÕES?

O maior sindicato sul-africano, o Sindicato Nacional dos Mineiros (NUM, na sigla em inglês), disse que seus filiados na estatal energética Eskom vão parar em 26 de maio, reivindicando melhores salários. Uma greve na Eskom pode afetar o fornecimento de eletricidade e causar constrangimentos para o governo de Jacob Zuma na reta final dos preparativos para a Copa.

O sindicato e a Eskom estão negociando na terça-feira.

Economistas e analistas têm criticado os sindicatos por usarem a Copa para fazerem reivindicações como a de aumentos salariais bem superiores à inflação, de 5,1 por cento.   Continuação...