Militantes do Iraque negam intenção de atacar na Copa do Mundo

terça-feira, 25 de maio de 2010 16:34 BRT
 

Por Waleed Ibrahim

BAGDÁ (Reuters) - Um grupo iraquiano ligado à Al Qaeda negou nesta terça-feira que tenha a intenção de cometer ataques na África do Sul durante a Copa do Mundo, de 11 de junho a 11 de julho.

Em nota pela Internet, o chamado Estado Islâmico do Iraque disse que tais insinuações são frutos de imaginações fantasiosas.

Um suposto militante da Al Qaeda disse a uma TV, após ser detido no Iraque, que havia discutido com outros ativistas a possibilidade de cometer ataques a jogadores e torcedores da Holanda e da Dinamarca durante a Copa, para vingar insultos contra o profeta Maomé.

O Estado Islâmico do Iraque, um grupo sunita, disse que o suposto complô foi uma criação da "estúpida máquina de mídia do governo da Zona Verde" (área fortificada no centro de Bagdá).

O suposto complô foi noticiado semanas depois da morte, em abril, de Abu Omar al Baghdadi, apontado como líder do Estado Islâmico do Iraque, e de Abu Ayyub al Masri, dirigente da Al Qaeda no Iraque.